Publicidade

Estado de Minas Governo

Auxílio será pago na terça

Nova rodada do benefício, que varia de R$ 150 a R$ 375, chega com desemprego em alta no trimestre encerrado em janeiro


01/04/2021 04:00 - atualizado 31/03/2021 23:52

Expectativa da Caixa é que pessoas utilizem contas digitais existentes para pagar contas e evitem filas nas agências (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press - 29/12/20)
Expectativa da Caixa é que pessoas utilizem contas digitais existentes para pagar contas e evitem filas nas agências (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press - 29/12/20)

O ministro da Cidadania, João Roma, anunciou ontem que o pagamento da nova rodada do auxílio emergencial começará na próxima terça-feira, dia 6, primeiro com depósitos nas contas dos beneficiários e depois com um cronograma de saques, como ocorreu no ano passado. “Esse é um alento para o povo brasileiro. O pagamento foi viabilizado pela PEC Emergencial com R$ 44 bilhões que servirão para quatro parcelas direcionadas para os brasileiros vulneráveis que estão passando muita dificuldade. São recursos públicos, para os quais temos que ter o maior zelo", afirmou. “A preocupação do presidente Jair Bolsonaro é válida, precisamos estar perto da população que mais precisa. O auxílio emergencial é ferramenta para minimizar o sofrimento para conseguir superar essa pandemia”, completou.

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, explicou que a partir de terça-feira o banco depositará o auxílio nas contas digitais – que todos os beneficiários já possuem – e depois será possibilitado o saque. “Teremos todo um calendário com todo o detalhamento, para minimizar aglomerações. Nossa expectativa é de que pelo menos metade das pessoas já paguem suas contas digitalmente. Vamos minimizar as filas de saques”, acrescentou. Na nova rodada do auxílio, apenas uma pessoa por família poderá receber o auxílio, que tem valores de R$ 150 para famílias de uma só pessoa, R$ 250 para famílias com mais de um integrante e R$ 375 para mães que são as únicas provedoras do lar, pagos em quatro parcelas mensais.

Apenas poderá receber os valores quem já era beneficiário do programa em dezembro de 2020. Em decreto editado na semana passada, o governo reforçou a proibição à realização de novos pedidos do benefício por quem estava empregado até julho de 2020, quando o cadastro foi encerrado, mas foi demitido depois disso, sem conseguir recolocação.

Sem trabalho 


A ajuda chega em bom momento para 14,272 milhões de brasileiros em busca de trabalho, segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de desocupação no Brasil ficou em 14,2% no trimestre encerrado em janeiro. Em igual período de 2020, a taxa de desemprego medida pela Pnad Contínua estava em 11,2%. No trimestre até dezembro de 2020, a taxa de desocupação estava em 13,9%.

IR adiado

A data final para a declaração do Imposto de Renda pode ser estendida para 31 de julho. Projeto aprovado ontem pela Câmara dos Deputados prorroga o prazo atual de 30 de abril por 90 dias. Para passar a valer a nova data, o texto precisa agora ser aprovado pelo Senado. O autor do projeto, deputado Rubens Bueno (Cidadania-PR), sugeriu a prorrogação devido à pandemia da COVID-19. No texto aprovado, o cronograma de restituições não mudará, com o primeiro lote sendo pago em 31 de maio. O texto autoriza ainda o pagamento da cota única ou das cotas vencidas até 31 de julho sem acréscimo de juros ou penalidade de qualquer natureza.



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade