Publicidade

Estado de Minas Comércio em BH

Correria, de novo, em lojas e supermercados com fechamento no domingo

Com restrição à abertura dos supermercados de BH aos domingos, clientes se antecipam e aglomeração retorna


26/03/2021 04:00 - atualizado 26/03/2021 07:25

Supermercados e padarias só poderão vender por delivery e drive-thru (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Supermercados e padarias só poderão vender por delivery e drive-thru (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)

Para se antecipar ao fechamento dos supermercados neste domingo, belo-horizontinos marcam presença desde ontem nas lojas. A preocupação é evitar aglomerações às vésperas da medida restritiva adotada pela prefeitura da capital (PBH) para conter a disseminação da COVID-19.

Contudo, o movimento cresceu. Aos domingos, os supermercados, sacolões, lanchonetes, lojas de conveniência, açougues e similares só poderão operar com sistema de delivery ou drive-thru, no caso das empresas que dispõem de estacionamento internalizado.
 
Morador do Bairro Nova Suíça, na Região Oeste de BH, o advogado Enzo Marcos Di Pietro, de 61 anos, adotou estratégia para evitar grande concentração de pessoas. “No domingo, temos o hábito de fazer compras apenas de produtos que vamos consumir no dia, mas agora vamos procurar ir antes. Para as compras do mês, preferimos usar o final da noite, quase no horário do fechamento, desde que a pandemia começou. Assim, a gente evita  aglomeração. Normalmente, nesse horário o supermercado está mais vazio”, ressaltou.
 
Ele contou que quando a medida de fechamento dos supermercados e padarias aos domingos foi anunciada, na última terça-feira, várias pessoas entraram em desespero e sentiram que a sensação era de voltar a março de 2020. Naquela época, a preocupação era a de falta de produtos nas prateleiras dos supermercados.
 
“Meu cunhado e minha irmã fizeram as compras correndo, achando que iriam fechar permanentemente. A sensação é de que voltamos ao início da pandemia”, disse. Outras pessoas preferem optar por uma alternativa mais moderna – os aplicativos de entrega.
 
O jornalista Bruno Mafra, de 43, disse que essa pode ser uma opção para evitar aglomerações nas lojas. “Talvez experimente a compra on-line. Esses aplicativos vivem oferecendo desconto para a primeira compra. Talvez seja a hora de reduzir a lista ao mínimo possível e aproveitar”, afirma.
 
A reportagem do Estado de Minas procurou a Associação Mineira de Supermercados (Amis) para saber como as empresas do setor vão se adaptar ao fechamento das lojas aos domingos e com qual expectativa elas trabalham a respeito do fluxo de consumidores nas lojas. No entanto, a Amis informou que ainda é cedo para avaliar a nova situação, que dependerá do comportamento dos clientes. Consumidores ouvidos pelo EM relataram já ter encontrado lojas lotadas em alguns pontos de Belo Horizonte.
 
A analista de marketing Poliana Rodrigues Ornela Salim, de 35, não gostou da restrição adotada pela PBH. Ela mora no Bairro Castelo, na Região da Pampulha, e acredita ter sido um erro o fechamento dos supermercados aos domingos. “Sou completamente a favor de medidas serem tomadas para conter a disseminação do vírus e possíveis aglomerações, mas acredito que essa decisão de fechar os supermercados aos domingos não é uma decisão sábia. A probabilidade de essa iniciativa gerar maior concentração de pessoas em compras aos sábados e na sexta-feira à noite é maior”, afirmou.
 
Poliana Salim afirma que somente aos domingos tem tempo para fazer as compras de casa. “Geralmente, tenho o costume de fazer compras aos domingos. Tenho feito compra do mês. Os itens mais essenciais. Os domingos eu separo para comprar itens para repor os alimentos da semana”, diz. Ela entende que a restrição pode gerar maior movimento na semana.



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade