Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

Indicadores sugerem continuidade de recuperação desigual entre setores, afirma BC


17/12/2020 09:18

O Banco Central (BC) reafirmou nesta quinta-feira, 17, por meio do Relatório Trimestral de Inflação (RTI), que os indicadores recentes sugerem a continuidade, no Brasil, da recuperação desigual entre os setores econômicos. Conforme o BC, isso está como o esperado.

"Contudo, prospectivamente, a incerteza sobre o ritmo de crescimento da economia permanece acima da usual, sobretudo para o período a partir do final deste ano, concomitantemente ao esperado arrefecimento dos efeitos dos auxílios emergenciais", afirmou o BC. Essas ideias já haviam sido expressas em documentos recentes do BC, como a ata do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom), publicada na terça-feira.

Ao avaliar o nível de preços no Brasil, o BC reafirmou que "diversas medidas de inflação subjacente apresentam-se em níveis compatíveis com o cumprimento da meta para a inflação no horizonte relevante para a política monetária".

Choques inflacionários

O Banco Central repetiu, por meio do RTI, que os choques inflacionários atuais são temporários. Ao mesmo tempo, a instituição projetou inflação ainda elevada em dezembro.

"As últimas leituras de inflação foram acima do esperado e, em dezembro, apesar do arrefecimento previsto para os preços de alimentos, a inflação ainda deve se mostrar elevada, com coleta extraordinária de preços de mensalidades escolares e transição para o mais elevado patamar de bandeira tarifária de energia elétrica", registrou o BC. "Apesar da pressão inflacionária mais forte no curto prazo, o Comitê mantém o diagnóstico de que os choques atuais são temporários, mas segue monitorando sua evolução com atenção, em particular as medidas de inflação subjacente."

Fechamento de empresas

O Banco Central publicou, no RTI, um boxe que busca avaliar a dinâmica de fechamento de empresas no Brasil durante a pandemia do novo coronavírus. Uma das conclusões é de que, até o momento, não houve encerramento permanente de firmas de forma disseminada na economia.

Conforme o BC, os dados apresentados no boxe "indicam que o processo de reabertura de empresas apontado pela Pesquisa Pulso Empresa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) tem continuado desde agosto nos segmentos mais diretamente afetados pelo distanciamento social".

Cenário externo

No RTI agora divulgado, o Banco Central reafirmou que, "no exterior, a ressurgência da pandemia em algumas das principais economias tem revertido os ganhos na mobilidade e deverá afetar a atividade econômica no curto prazo". Esta avaliação já constou na ata do último encontro do Copom.

"No entanto, os resultados promissores nos testes das vacinas contra a Covid-19 tendem a trazer melhora da confiança e normalização da atividade no médio prazo", pontuou o BC. "A presença de ociosidade, assim como a comunicação dos principais bancos centrais, sugere que os estímulos monetários terão longa duração, permitindo um ambiente favorável para economias emergentes."


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade