Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

'Estamos conversando o tempo inteiro com EUA para acordo comercial, diz Guedes


postado em 10/10/2019 11:35

O governo brasileiro segue em conversas com o governo norte-americano para a negociação de um possível acordo comercial, disse nesta quinta-feira, 10, o ministro da Economia, Paulo Guedes, durante o Fórum de Investimentos Brasil 2019. "Estamos conversando o tempo inteiro com Estados Unidos para acordo comercial. Conversamos também com Canadá, Japão e Coreia do Sul (para acordos)", afirmou Guedes.

O evento, realizado em São Paulo, é organizado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento e pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos.

Guedes apontou que a orientação do governo do presidente Jair Bolsonaro é se aproximar de países "referência" que conseguem transformas recursos naturais em crescimento e riqueza para o povo. "Com essa política, conseguimos fechar acordos comerciais que estavam parado há 20 anos, como pacto entre Mercosul e União Europeia e acordo com EFTA", disse.

Ele ressaltou que o governo tem conseguido implementar importantes reformas com apoio de uma nova política e da sociedade.

"O presidente montou ministério sem pressões políticas em favor de renovação da política", afirmou o ministro.

Espaço democrático

O ministro da Economia criticou o discurso dos "perdedores" da oposição de que houve uma redução do espaço democrático no Brasil. "O que houve foi uma diminuição para o social democrata, que perdeu as eleições", declarou.

Diante de uma plateia de investidores e empresários, Guedes reforçou a mensagem de que o País está indo em direção à liberal democracia após muitos anos de social democracia. "Estamos acelerando nossas reformas, choque do petróleo barato, reforma tributária, graças ao escudo político que o presidente (Jair Bolsonaro) nos ofereceu", afirmou.

Guedes citou que a inversão do modelo econômico no Brasil é semelhante ao que aconteceu em outros países, como o Chile. Ele mencionou os liberais democratas em favor dos mercados como os "Chicago Boys" do governo de Augusto Pinochet no Chile décadas atrás.

O ministro disse que a meta de privatizações em 2019 já foi superada, mas isso é só um aquecimento pelo que está por vir. A meta é seguir com a agenda de concessões e privatizações, além de redução do endividamento dos bancos públicos, após, segundo ele, oito anos de alavancagem elevada. "O crescimento que está começando agora é sustentável, não um voo de galinha", frisou. Segundo o ministro, enquanto o mundo desacelera o crescimento, "o Brasil, ao contrário, sai da clínica de reabilitação".

Além de Guedes, outros nove de 22 ministros brasileiros estão presentes no evento. Entre eles, o ministro da das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, da Agricultura, Tereza Cristina, da Defesa, Fernando Azevedo e Silva.


Publicidade