Publicidade

Estado de Minas

Inflação registra queda histórica de 0,04% para o mês de setembro

É o menor índice do mês desde 1998, diz IBGE


postado em 09/10/2019 11:24 / atualizado em 09/10/2019 11:31

(foto: Arquivo/Marcelo Camargo/Agência Brasil)
(foto: Arquivo/Marcelo Camargo/Agência Brasil)


A inflação oficial, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), registrou queda de 0,04% em setembro. É o menor valor para o mês desde 1998, quando ficou em baixa de 0,22%. No mês de agosto de 2019, a taxa tinha apresentado alta de 0,11%. Em setembro do ano passado, o IPCA foi cresceu 0,48%. 

Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (9/10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No acumulado do ano o IPCA apresenta alta de 2,49%. Já nos últimos 12 meses imediatamente anteriores, o índice avançou 2,89%. 

Na avaliação de André Perfeito, economista-chefe da Necton Investimentos, o resultado mensal reafirma a expectativa de que o Banco Central faça novas reduções na taxa básica de juros, a Selic, para até 4,50%. “Vale notar que nos Estados Unidos, a perspectiva continua de baixa de juros e isto força a curva como um todo para baixo por aqui”, disse. 

Em setembro, o índice foi puxado, principalmente, pelo grupo alimentação, com queda de 0,43%. O grupo artigos de residência recuou 0,76%. Os dois segmentos contribuíram negativamente para o índice do mês com menos 0,11 e  menos 0,03 ponto percentual (p.p). 

Entre os grupos que registraram alta o destaque ficou em saúde e cuidados pessoais, com variação positiva de 0,58%. 

A expectativa do Banco Central para a inflação de 2019, atualizada semanalmente pelo Boletim Focus, está em um avanço de 3,42%. A meta para este ano, estabelecida pela autoridade monetária, é de 4,25%, com margem de 1,5 ponto percentual para baixo ou para cima. 

Confira a variação em cada grupo


Setembro

Índice geral: -0,04
Alimentação e bebidas: -0,11
Habitação: 0
Artigos de residência: -0,03
Vestuário: 0,02
Transportes: 0
Saúde e cuidados pessoais: 0,07
Despesas pessoais: 0,01
Educação: 0
Comunicação: 0

Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Índices de Preços


Publicidade