Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

Alimentos mais baratos ajudam a zerar inflação ao consumidor no IGP-DI


postado em 08/10/2019 10:20

A queda nos preços dos alimentos ajudou a manter estável a inflação ao consumidor dentro do Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) em setembro, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O Índice de Preços ao Consumidor (IPC-DI) foi de 0,00% em setembro, após uma alta de 0,17% em agosto.

Duas das oito classes de despesa registraram taxas de variação menores: Habitação (de 0,81% em agosto para 0,22% em setembro) e Alimentação (de -0,36% para -0,67%). Os destaques partiram dos itens tarifa de eletricidade residencial (de 3,36% para 0,27%) e frutas (de 0,36% para -4,12%).

Na direção oposta, as taxas foram mais elevadas nos grupos Educação, Leitura e Recreação (de 0,13% para 0,31%), Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,18% para 0,29%), Vestuário (de -0,29% para 0,01%), Transportes (de 0,13% para 0,16%), Comunicação (de 0,38% para 0,54%) e Despesas Diversas (de -0,05% para 0,04%).

Houve influência dos itens passagem aérea (de -4,57% para 0,33%), artigos de higiene e cuidado pessoal (de -0,29% para 0,37%), roupas (de -0,46% para 0,18%), seguro facultativo para veículo (de -0,21% para 0,95%), tarifa de telefone móvel (de 0,09% para 1,47%) e alimentos para animais domésticos (de -1,35% para 0,88%).

Núcleo

O núcleo do IPC-DI registrou alta de 0,20% em setembro, ante um avanço também de 0,20% em agosto. Dos 85 itens componentes do IPC, 48 foram excluídos do cálculo do núcleo.

Difusão

O índice de difusão, que mede a proporção de itens com aumentos de preços, passou de 47,04% em agosto para 49,11% em setembro.


Publicidade