Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

Bolsonaro: governo precisa de alinhamento com MP, ANP, Cade e TCU


postado em 23/07/2019 20:51

Durante lançamento do programa do Novo Mercado de Gás, o presidente Jair Bolsonaro disse que o governo não tem como seguir se não tiver um alinhamento com o Ministério Público, a Agência Nacional de Petróleo (ANP), o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), o Tribunal de Contas da União (TCU). Em discurso, ele comemorou que "o Brasil começa a dar certo".

No meio da cerimônia, enquanto o presidente do Cade, Alexandre Barreto, discursava, Bolsonaro falou ao telefone. Ele fez um sinal de positivo com uma das mãos para o vice-presidente, Hamilton Mourão. Depois, no discurso, disse que "logo mais o pessoal da imprensa vai ter uma boa notícia", mas pediu para não ser procurado.

Contingenciamento

Bolsonaro também minimizou o contingenciamento de recursos no Ministério da Infraestrutura dizendo que o trabalho na pasta tem sido melhor do que em governos anteriores porque é feito com "muito amor, dedicação e patriotismo".

"Hoje, em Vitória da Conquista (BA), nosso ministro da Infraestrutura, Tarcísio (de Freitas), falou com coração quando disse que tinha ou tem a melhor equipe técnica em seu Ministério. Eu respondi que concordava com ele, mas ele só pode falar isso porque eu dei toda liberdade para ele escolher aqueles técnicos que o ajudariam a chegar ao local que ele tinha chegado", disse Bolsonaro.

"É um ministério com muitos recursos contingenciados, mas com trabalho feito com muito amor, dedicação e patriotismo tem sido melhor que muitos outros que nos antecederam", afirmou no evento.

Bolsonaro também disse que o Brasil está dando certo, mas que a economia não andaria sem energia. Ele discursou durante cerimônia no Palácio do Planalto para lançar oficialmente o programa "Novo Mercado de Gás", conhecido como "choque de energia barata". O programa é uma das grandes apostas do governo para retomar o crescimento.

Contato: julia.lindner@estadao.com
anne.warth@estadao.com
mariana.haubert@estadao.com

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade