Publicidade

Estado de Minas

Setor hoteleiro teme demanda fria durante Copa América em Belo Horizonte

Experiente na recepção de torneios, capital mineira se prepara para sediar jogos da principal competição do continente, com ritmo fraco de reservas e de expectativa em bares


postado em 02/06/2019 06:00 / atualizado em 02/06/2019 08:10

Augusto Novaes diz que perspectiva é de maios procura às vésperas do início da competição (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Augusto Novaes diz que perspectiva é de maios procura às vésperas do início da competição (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

A menos de duas semanas do início da Copa América, a movimentação no setor hoteleiro, e no de bares e restaurantes em Belo Horizonte ainda é tímida, com expectativa de aquecimento apenas às vésperas da competição, que começa dia 15 e se estende a 7 de julho. A crise econômica no Brasil e em seus vizinhos apaixonados por futebol, como a Argentina, o dólar caro e até a mudança no comportamento dos consumidores – que hoje gerenciam as próprias reservas de viagens, deixando a confirmação para a última hora – ajudam a explicar o movimento ainda fraco, segundo fontes do setor.


Depois de receber jogos da Copa das Confederações (2013) e da Copa do Mundo (2014), além de partida de futebol dos Jogos Olímpicos (2016), a capital mineira se prepara para o torneio continental, do qual é uma das cinco cidades-sedes. Diferentemente do nível da ocupação de 100% da rede hoteleira nas duas primeiras competições, a expectativa é de 80% durante a Copa América.


“É diferente comparar com uma competição que tinha atrações como Alemanha, Inglaterra, turistas europeus. Além disso, tem a Argentina em crise, o dólar caro, tudo influencia”, afirmou Guilherme Sanson, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Minas Gerais. “Junho, historicamente, já é um mês aquecido, com média em torno de 70% de ocupação. A expectativa para a Copa América é de 80%, com o movimento intenso de mídia e delegações, no pré e pós-jogo. Os torcedores hoje têm mais acesso para gerenciar as reservas e, como ainda há disponibilidade, esperam para confirmar mais perto do evento. Por isso, acreditamos que o setor aquece a partir desta semana”, afirmou Guilherme.


O Mineirão receberá quatro partidas da primeira fase e uma das semifinais do torneio, que poderá ser disputada pela Seleção Brasileira, caso o time se classifique em primeiro lugar do Grupo A e passe pelas quartas de final. A primeira partida na capital será em 16 de junho, domingo, quando o Uruguai enfrenta o Equador, às 19h. Os uruguaios, que escolheram Sete Lagoas como casa durante a Copa do Mundo, serão os primeiros a chegar, no dia 13, e ficarão hospedados no hotel Ouro Minas, que também já acertou com a Bolívia, que enfrenta a Venezuela, dia 22.


“A gente analisa dois cenários distintos. O primeiro, que é a vinda de delegação, está bem positivo, pois vamos receber seleções em dois momentos na primeira fase e temos grande expectativa para a semifinal, pois a Seleção Brasileira costuma se hospedar conosco”, afirmou Leandro Santos, gerente de vendas do Ouro Minas. “Já o segundo cenário não é tão positivo. A procura existe, mas as confirmações não estão aquecidas. Até 4 de julho, a ocupação oscila, com quase 100% no período do jogo da Argentina. Esperamos que a média do período seja acima de 70%.”


A Seleção Argentina, certamente, é a grande atração da primeira fase em BH. Lionel Messi, Agüero e Di María enfrentam o Paraguai, no dia 19, quarta-feira, às 21h30, no Gigante da Pampulha. A delegação argentina ainda não confirmou onde se hospedará em BH, mas uma das opções é o Hilton Garden, que está apto a receber delegações pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol).
“Nós temos expectativa de boa movimentação a partir do dia 14, com um pico durante o período do jogo da Argentina. Há muitos torcedores solicitando reservas para esses dias”, conta Augusto Novaes, gerente de vendas do Hilton.

Restaurantes Para os bares e restaurantes, a grande perspectiva está no avanço da Seleção Brasileira até a fase final, quando o time poderá jogar em BH. Na primeira fase, o aumento do consumo deve se dar no dia pré-jogo, com a vinda de turistas, e durante a partida, em casas com tradição de transmitir jogos.
“Os horários são bons, apenas um jogo durante a tarde, mesmo assim no sábado. Ou seja, isso favorece o happy hour para quem tem tradição em apostar em futebol. Alguns bares já estão colocando telão, pensam em sorteios no intervalo”, afirmou Ricardo Rodrigues, presidente da seção mineira da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel).Das cinco partidas, quatro ocorrerão a partir das 19h. O único duelo durante o dia será realizado entre Bolívia e Venezuela, dia 22, às 16h.

Ingressos no último lote

O Comitê Organizador Local da Conmebol deu início na sexta-feira à venda do quarto e último lote de ingressos, com aproximadamente 260 mil bilhetes para as 26 partidas da competição. A compra pode ser feita pelo site (copaamerica.com) e na bilheteria montada no piso 2 do Boulevard Shopping, na Avenida dos Andradas, 3.000.


Em meados do mês passado, o mascote da Copa América – a capivara Zizito – visitou o posto de venda e troca no Boulevard Shopping. Zizito homenageia o jogador brasileiro Zizinho, o mestre Ziza, maior artilheiro da história da competição, com 17 gols.


O torcedor pode solicitar até cinco ingressos por partida, com limite de sete jogos, totalizando 35 bilhetes para a competição. Não é possível comprar ingressos para dois confrontos diferentes no mesmo dia, em diferentes cidades. Para as compras no site oficial, a única forma de pagamento aceito é o cartão de crédito. Nos pontos físicos, o torcedor tem a opção de usar cartões de crédito e débito ou dinheiro.


Os preços dos ingressos variam de R$ 120 a R$ 350, nos quatro jogos de primeira fase, e de R$ 190 a R$ 590, nas semifinais. Nas três primeiras fases, foram comercializados 500 mil ingressos a torcedores de 110 países. Quem lidera o ranking de estrangeiros é o Chile, seguido por Colômbia, Argentina, Peru e Uruguai. Além de Belo Horizonte, outras quatro cidades receberão jogos: São Paulo (onde será realizada a abertura do campeonato no dia 15), Porto Alegre, Salvador e Rio de Janeiro, palco da finalíssima, em 7 de julho, no Maracanã. (RD)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade