Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

Indicador de incerteza da FGV sobe 2,2 pontos em maio ante abril


postado em 31/05/2019 08:47

O Indicador de Incerteza da Economia Brasileira (IIE-Br) subiu 2,2 pontos na passagem de abril para maio, alcançando 119,5 pontos, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta sexta-feira, dia 31. Com o resultado, o indicador persiste na região de incerteza elevada (acima de 110 pontos).

"A segunda alta seguida do Indicador de Incerteza reflete principalmente a instabilidade do ambiente político brasileiro. No cenário externo, a guerra comercial entre EUA e China também vem contribuindo para que a incerteza permaneça elevada e influencie, em menor magnitude, o resultado. É possível que o IIE-Br recue nos próximos meses, quando se terá maior clareza quanto à aprovação da reforma da Previdência e com relação ao abrandamento das tensões entre o Executivo e Legislativo", avaliou a pesquisadora Raíra Marotta, do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), em nota oficial.

O IIE-Br é composto por dois componentes: o IIE-Br Mídia, que faz o mapeamento nos principais jornais da frequência de notícias com menção à incerteza; e o IIE-Br Expectativa, que é construído a partir das dispersões das previsões para a taxa de câmbio e para o IPCA.

Em maio, a alta do IIE-Br foi influenciada pelo componente de Mídia, que subiu 3,3 pontos, contribuindo com 2,9 pontos para o resultado agregado. O componente de Expectativa registrou queda de 3,1 pontos no período, contribuindo com -0,7 ponto para o comportamento final do indicador.

A coleta do Indicador de Incerteza da Economia Brasileira é realizada entre o dia 26 do mês anterior ao dia 24 do mês de referência.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade