Publicidade

Estado de Minas

Fusões e aquisições crescem 28% no Brasil

A maior clareza no ambiente econômico, relacionada à aprovação da reforma da Previdência, deve favorecer o mercado em 2019


postado em 19/03/2019 06:00 / atualizado em 19/03/2019 09:52

(foto: Arte/Soraia Piva)
(foto: Arte/Soraia Piva)

A Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) anunciou ontem que o volume de fusões e aquisições cresceu 28% no Brasil em 2018, de R$ 138,4 bilhões em 2017 para R$ 177,2 bilhões no ano passado. O aumento ocorreu a despeito da diminuição no número de operações, de 143 para 140. As 10 maiores transações foram responsáveis por 70% do volume total, com destaque para os negócios entre Suzano e Fibria (R$ 47,6 bilhões) e Boeing com Embraer (R$ 16,4 bilhões). “Os resultados positivos de 2018 foram influenciados pela maior estabilidade do cenário macroeconômico”, diz Dimas Megna, coordenador do Subcomitê de Fusões e Aquisições da Anbima. “A maior clareza no ambiente econômico, relacionada à aprovação da reforma da Previdência, deve favorecer o mercado de fusões e aquisições em 2019. As empresas estão se preparando para as oportunidades que podem surgir em um panorama potencialmente mais positivo.”

Fraudes on-line caem 30% em 2018
As tentativas de fraude contra lojas virtuais brasileiras caíram quase 30% em 2018, segundo estudo da Konduto, empresa de análise de risco de transações on-line. Para realizar o levantamento, a companhia levou em consideração mais de 120 milhões operações realizadas no ano passado. A queda das fraudes reforça o aumento da eficiência dos sistemas de segurança, que precisam estar à frente das investidas dos hackers. Não custa lembrar: o Brasil é um dos campeões mundiais em golpes virtuais.

Mexicana Cinépolis impulsiona cinema no Brasil


O streaming vai acabar com o cinema, certo? Errado – pelo menos no Brasil. Segundo dados da Ancine, o mercado brasileiro fechou 2018 com 3.356 salas de cinema em operação, superando um recorde que durava 43 anos. Uma das responsáveis pelo notável desempenho é a rede mexicana Cinépolis, que abriu 22 salas (foto) no ano passado. Para efeito de comparação, a americana Cinemark, líder do mercado nacional, não inaugurou nenhuma. A Cinépolis não para: em 2019 quer abrir 49 salas.

Apesar da crise, Editora Todavia lança 50 títulos no ano

O ano de 2018 foi de altos e baixos para a editora Todavia. Ao mesmo tempo em que seus livros estiveram entre os mais vendidos do país, a empresa sofreu prejuízos ao entrar na lista de credores da recuperação judicial das livrarias Cultura e Saraiva. Fundada em 2017 – no auge da crise do setor – por um grupo de ex-editores da Companhia das Letras, a Todavia conseguiu cumprir a meta de lançar 50 títulos em um ano, algo bastante desafiador em um mercado com inúmeras dificuldades.

46% dos empresários brasileiros esperam faturar mais em 2019 do que no ano passado, segundo pesquisa da Boa Vista. Outros 22% acham que os negócios vão se manter no mesmo patamar e 24% acreditam que as receitas deverão diminuir.

"Acho difícil que o PIB cresça muito acima do intervalo entre 1,5% e 2%. Acredito em um desempenho superior ao de 2017 e 2018, mas não teremos um crescimento muito parrudo”

. Alexandre Schwartsman, economista e ex-diretor do Banco Central

RAPIDINHAS


A julgar pelo carnaval deste ano, os brasileiros estão voltando a viajar de ônibus. Pelos números da ClickBus, plataforma de vendas on-line de passagens rodoviárias, houve um aumento de mais de 50% nas vendas de bilhetes comprados pela internet, site ou celular em comparação com o carnaval de 2018.

Os cinco destinos mais procurados pelos brasileiros que viajaram de ônibus e compraram suas passagens on-line, sempre de acordo com dados da ClickBus, foram Rio de Janeiro (12% do total), São Paulo (5%), Belo Horizonte (4%), Fortaleza (3%) e Curitiba (2%).

O mercado de educação enxerga oportunidades até nos bebês. Prova disso é o crescimento da rede de escolas de idiomas The Kids Club, voltada a crianças de 18 meses a 12 anos. Em 2018, a empresa avançou 15% diante do ano anterior, totalizando 78 endereços no país. Para 2019, a estratégia é ampliar as operações em cidades com até 50 mil habitantes.

Maior rede de frango frito do mundo, a KFC trouxe um novo formato de loja ao mercado brasileiro. Chamado de in-line, o modelo consiste em unidades de rua, rodovias ou junto a postos de combustíveis. O primeiro endereço com o novo conceito foi inaugurado na Rodovia Anhanguera, em São Paulo, ao custo de R$ 2,7 milhões.

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade