Publicidade

Estado de Minas

Fora da Caixa - Uma gigante dos espaços de trabalho


postado em 24/11/2018 06:00 / atualizado em 24/11/2018 13:44



Belo Horizonte acaba de receber a primeira unidade, de pelo menos três previstas, de uma das maiores startups do mundo, avaliada em US$ 45 bilhões. A americana WeWork, fundada em Nova York em 2010, é uma rede de espaço de trabalho. Não estamos falando de capacidade de extração de milhões de toneladas de um recurso natural e nem da fabricação de milhares de unidades de um produto a ser escoado por nossas rodovias. Falamos, sim, de uma organização que promete impactar, culturalmente, muitas das empresas dos setores que mais pesam na balança comercial de Minas Gerais.


(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Seja uma mesa, um escritório privativo ou uma sede inteira, a WeWork oferece espaços e conexões com 320 mil membros, em 83 cidades de 24 países.  O endereço em BH (foto) fica na rua Sergipe, 1.440, na Savassi. A primeira fase de abertura, com capacidade para 200 posições de trabalho (chegará a 850 até fevereiro de 2019), foi inaugurada na quinta-feira, com 100% de ocupação. “De um lado, temos em BH empresas tradicionais em processo de transformação digital. De outro, startups de base tecnológica em acelerada expansão. A WeWork coloca os dois para compartilhar o mesmo espaço”, afirmou o líder das operações da WeWork no Brasil, o belo-horizontino Lucas Mendes.

Mineração

Entre os principais diferenciais apresentados ao cliente estão internet de alta velocidade, café e chope à vontade, limpeza, recepção e segurança 24 horas – o que já atraiu de advogados a startup que desenvolve projetos para a indústria aeroespacial. Mais do que isso. Lançou, dentro da WeWork Labs, programa global de iniciativa a startups, o primeiro hub de inovação para o setor de mineração. O Mining Hub reúne, no mesmo ambiente, 12 mineradoras concorrentes, que decidiram buscar juntas soluções para problemas comuns, além de fornecedores e outros integrantes da cadeia. Fato inédito no mundo.
O laboratório ocupará todo um andar do edifício, dos seis destinados exclusivamente ao WeWork. “Será um espaço focado em inovação aberta para trabalhar de forma colaborativa e não competitiva”, disse o gerente de gestão, estratégia e inovação da mineradora Ferrous, Gustavo Roque. Ele dividirá o ambiente com representantes da Anglo American, AngloGold Ashanti, ArcelorMittal, CBMM, CSN, Gerdau, Kinross, Nexa, Samarco, Usiminas e Vale, que juntas representam 150 mil funcionários e faturam R$ 120 bilhões.

Conexão


“As empresas e startups que ficarão aqui estarão automaticamente expostas a uma nova cultura de trabalho e de negócios. A tecnologia é só um meio para inovar. A inovação começa mesmo na mudança de mindset (mentalidade) das pessoas”, destacou Bruno Scolari, o responsável pelo WeWork Labs em Minas Gerais. Outro ponto interessante é a conexão que pode ser realizada com membros de outras unidades do WeWork, em locais que são polos tecnológicos e também de mineração, a exemplo do Chile, Canadá e Austrália.


Aceleração

O projeto, que conta com o apoio do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), abrange desafios divididos em cinco áreas: segurança operacional e saúde ocupacional, gestão da água, fontes de energia alternativa, eficiência operacional, e gestão de resíduos. Durante um ano, empreendedores e startups serão acelerados, com o apoio da Neo Ventures, empresa com histórico em programas de inovação aberta para corporações e na aceleração de startups. O edital para participação será lançado na próxima terça-feira. Mais informações podem ser obtidas no endereço eletrônico mininghub.com.br.

WeWork em números

» US$ 45 bilhões representam o seu valor de mercado
» 320 mil membros, sendo 12 mil no Brasil
» 335 espaços físicos em 83 cidades e 24 países
» 12 endereços no Brasil, em São Paulo, Rio de Janeiro e, agora, BH


Pílulas


» Futuro do trabalho é tema de evento da Fumsoft, organização com foco no desenvolvimento de empresas de base tecnológica, na próxima terça-feira, das 8h30 às 19h, no Museu Inimá de Paula (Rua da Bahia, 1.201, Centro). Entre os palestrantes estão representantes da Microsoft e Hyperloop.

» O fundador do projeto Capitalismo Consciente Brasil, Thomas Eckschmidt, autor do Guia capitalismo consciente, participa de encontro para explorar o tema, na próxima terça-feira, às 19h, na A Central (Praça Rui Barbosa, 104).

» A Câmara Americana de Comércio de Belo Horizonte (Amcham-BH) realiza o painel Indústria 4.0, com Deloitte, BH Airport, CNH, Arcelor Mittal e Comau, também na próxima terça-feira, das 8h30 às 11h30, no Actuall Hotel.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade