Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

ONS eleva projeção de chuvas e reduz previsão de carga para novembro


postado em 23/11/2018 13:57

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) elevou as projeções de afluências e reduziu a estimativa de crescimento de carga para novembro em boa parte do País, conforme a mais recente revisão do programa mensal de operação, divulgada nesta sexta-feira, 23. De acordo com as estimativas atualizadas, as precipitações na área de influência das hidrelétricas da região Sudeste devem ficar em 129% da média histórica, ante os 120% estimados anteriormente.

O volume de chuvas esperado para as regiões Sul e Norte também foram levemente elevados, chegando, respectivamente, a 109% (+1 ponto porcentual) da média de longo termo (MLT) e 74% (+2 pontos porcentuais).

Já as precipitações no Nordeste foram revistas para baixo, chegando a 69% da média histórica, o que corresponde a uma redução de 8 pontos porcentuais.

A melhora das estimativas de Energia Natural Afluente (ENA) no Sudeste refletiram em uma ligeira alta da projeção de armazenamento no Sudeste, que subiu a 23,1% para o final do mês, ante os 21,5% anotados na quinta-feira, 22, e os 21,8% estimados anteriormente.

Já a Energia Armazenada no Norte deve ficar em 20,4%, 1,3 ponto porcentual acima da estimativa anterior, mas abaixo dos 22,4% de quinta. No Sul, mesmo com chuvas acima da média histórica, o nível de armazenamento deve recuar a 70,9%, abaixo dos 75,3% anotados quinta-feira e dos 72,2% estimados inicialmente.

No Nordeste, apesar da redução na previsão de chuva, a Energia Armazenada estimada para o fim de novembro ficou praticamente estável, em 29,7% (-1 ponto porcentual).

Em relação à carga, a projeção do ONS recuou de um crescimento de 2,6%, anteriormente estimado, para alta de 2,1% em novembro. O subsistema Sudeste/Centro-Oeste, principal centro de carga do País, deve registrar uma expansão de 1,6%, abaixo do 1,9% esperado inicialmente.

Já a projeção de expansão do Sul caiu de 5,9% para 4,4%. Para o Norte, a previsão é de queda de 2,8%, maior que a inicial, de 1,8%, enquanto no Nordeste a expectativa melhorou e agora espera-se uma alta de 4,2%, acima dos anteriores 3,5%.

CMO

Diante de tais projeções, o ONS reduziu o Custo Marginal de Operação (CMO) em todo o País na próxima semana operativa (entre 24 de novembro a 30 de novembro). O valor baixou de R$ R$ 113,40 por megawatt-hora (MWh) para R$ 96,90/MWh.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade