Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

China não alterou práticas "injustas e não razoáveis", dizem EUA


postado em 20/11/2018 20:54

O Escritório do Representante de Comércio dos Estados Unidos (USTR, na sigla em inglês) divulgou relatório nesta terça-feira, no qual atualiza sua investigação sobre o comportamento da China. O documento analisa as políticas e práticas de Pequim relacionadas à transferência de tecnologia, propriedade intelectual e inovação. Na avaliação do USTR, a potência asiática "não alterou fundamentalmente suas práticas injustas, não razoáveis e que distorcem o mercado".

O governo americano tem pressionado a China para mudar sua postura nesses aspectos. Hoje, o presidente Donald Trump voltou a dizer que pode levar adiante a ameaça de impor mais tarifas comerciais contra a China pelas práticas supostamente injustas do país. Nesse quadro, o USTR afirma que planeja manter seus esforços para monitorar qualquer novo acontecimento no setor.

Os EUA listam no relatório comportamentos chineses como restrições à posse de empresas por estrangeiros, processos de licenciamento, a exigência de transferência de tecnologia e a regulação deste setor na China como favoráveis ao próprio país, em detrimento dos demais.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade