Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

Lewandowski será relator de ações contra adiamento do reajuste de servidores


postado em 02/10/2018 14:51

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, definiu o ministro Ricardo Lewandowski como relator da ação apresentada pela União Nacional dos Auditores e Técnicos Federais de Finanças e Controle (Unacon) contra o adiamento do reajuste dos servidores federais.

Com isso, Lewandowski se torna o relator único dos processos que contestam no STF a Medida Provisória 849, que posterga o aumento do funcionalismo de 2019 para 2020 - são pelo menos seis ações na Corte sobre o assunto.

A ação ajuizada pela Unacon havia sido distribuída inicialmente para o ministro Luiz Fux. Diante disso, Fux pediu no início de setembro que a presidência definisse quem deveria comandar o processo, uma vez que Lewandowski já figurava como relator em outra ação sobre o mesmo tema. A decisão de Toffoli foi assinada no último dia 26 de setembro.

Quando o processo foi para o gabinete de Fux, a entidade reclamou ao STF alegando que Lewandowski tem prevenção para comandar o caso. Na ocasião, a entidade recordou que o ministro julgou a tentativa de adiamento do reajuste de 2018 para 2019, que foi fracassada após Lewandowski atender a liminar de servidores.

"Tendo em vista a coincidência parcial dos dispositivos impugnados, bem como a precedência da distribuição da ADI 5.809, acolho a proposta do Ministro Luiz Fux", entendeu Toffoli. Ao pedir a definição à presidência, Fux destacou que, "de fato", quando Lewandowski analisou o processo sobre o reajuste de 2018, "se debruçou especificamente sobre o objeto da controvérsia" colocada atualmente no STF.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade