Publicidade

Estado de Minas

Drone fecha Aeroporto de Confins na noite deste domingo

Um voo vindo de Vitória foi desviado para Montes Claros e outros dois decolaram com atraso. Operação já foi normalizada


postado em 23/09/2018 19:44 / atualizado em 23/09/2018 20:12

Voo 2512, da Azul, sobrevoou Aeroporto de Confins mas foi desviado para Montes Claros (foto: Flight Radar/Reprodução)
Voo 2512, da Azul, sobrevoou Aeroporto de Confins mas foi desviado para Montes Claros (foto: Flight Radar/Reprodução)

O Aeroporto de Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, ficou fechado durante 20 minutos na noite deste domingo, entre as 19h15 e 19h35, em razão de um drone que estaria sobrevoando a área operacional. 


Um voo que saiu de Vitória para Confins e iria pousar às 19h35 foi desviado para Montes Claros, no Norte de Minas. Outros dois, que iriam para Ipatinga e Rio de Janeiro sofreram atrasos. 

De acordo com a Assessoria de Imprensa do terminal, a aeronave já saiu do local e homens da Polícia Militar e da segurança do aeroporto estão fazendo buscas na região para encontrar o dono do drone.

 

O infrator está sujeito ao crime previsto no artigo 261 do Código Penal, que é expor a perigo embarcação ou aeronave, própria ou alheia, ou praticar qualquer ato que pode impedir ou dificultar a navegação marítima, fluvial ou aérea. A pena prevista no CP é de dois a cinco anos de prisão. 

 

Congonhas

Problemas entre aeroportos e drones não são novidade no Brasil. Em 12 de novembro de 2017, também em uma noite de domingo, um drone fechou por mais de duas horas o Aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

Na ocasião, cerca de 35 voos que pousariam no terminal foram desviados para Guarulhos, Viracopos, em Campinas, Ribeirão Preto, e até mesmo para outros estados, como Rio de Janeiro e Belo Horizonte. 


Em maio do ano passado, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) regulamentou o uso de drones. Quem for flagrado utilizando o equipamento prejudicando o setor aéreo, por exemplo, pode ser submetido a processo civil e penal.

No caso de Congonhas, por exemplo, a Polícia Militar tentou localizar o dono do drone, mas, sem sucesso. No dia seguinte, a Polícia Federal instaurou inquérito para investigar a origem do drone.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade