Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

Novos projetos para dinheiro extra dos royalties da mineração


postado em 22/09/2018 08:15

Em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, o prefeito Vítor Penido faz planos para o dinheiro a mais que entrará na cidade com as mudanças na distribuição de royalties da mineração. Há projetos para construção de postos de saúde, creches e escolas, por exemplo. A reforma de um trecho da estrada que liga Nova Lima a Belo Horizonte também está nos planos. "É dinheiro que não se pode gastar, por exemplo, com pagamento de salários. É obrigatório que tudo seja investido."

Nova Lima é a terceira cidade que mais recebe royalties de mineração no País. Penido projeta receber este ano mais de R$ 100 milhões (os números do DNPM apontam que essa meta já foi alcançada, com R$ 104 milhões até agosto). Os recursos arrecadados com a retirada de minério representam cerca de 20% da receita total do município.

Até o momento, moradores afirmam não perceberem que o aumento da arrecadação já esteja sendo revertido em obras para a cidade. "Está tudo a mesma coisa. Acho que a tendência é que melhore", diz o taxista Gabriel Marques, de 24 anos.

Conforme o prefeito, o município está sendo colocado financeiramente em ordem, e por isso não é possível aumentar o número de obras imediatamente. Ele diz que o mais importante para uma cidade como Nova Lima é se preparar para sobreviver após exauridas as reservas de minério. Uma das iniciativas nesse sentido é a atração de empresas de serviços. Segundo o prefeito, cerca de 25% da receita da cidade é com a arrecadação de ICMS. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade