Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

Alta no cigarro impulsiona Despesas Pessoais à maior alta entre grupos, diz IBGE

O grupo Despesas Pessoais teve a maior variação entre os grupos no mês de setembro, uma alta de 0,46%, ante elevação de 0,32% em agosto


postado em 21/09/2018 11:15 / atualizado em 21/09/2018 14:10

(foto: Wikipedia/Reprodução)
(foto: Wikipedia/Reprodução)
A alta de 1,80% no preço do cigarro pressionou os gastos das famílias com o grupo Despesas Pessoais em setembro, segundo a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), divulgado nesta sexta-feira, 21, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O grupo Despesas Pessoais teve a maior variação entre os grupos no mês de setembro, uma alta de 0,46%, ante elevação de 0,32% em agosto. O cigarro sofreu reajustes em Porto Alegre (3,37%), Curitiba (3,09%) e São Paulo (3,07%). Também impactaram o resultado do grupo os itens serviço bancário (2,03%) e empregado doméstico (0,36%).

O grupo Saúde e cuidados pessoais passou de alta de 0,55% em agosto para aumento de 0,26% em setembro. A desaceleração foi influenciada pela higiene pessoal, que saiu de elevação de 1,20% em agosto para queda de 0,49% em setembro. Por outro lado, o plano de saúde aumentou 0,81% em setembro.

As demais altas no mês ocorreram nos grupos Habitação (0,30%), Artigos de residência (0,32%), Educação (0,10%), Transportes (0,21%), e Comunicação (0,02%). Os preços de Vestuário ficaram estáveis (0,00%), enquanto em Alimentação e bebidas houve deflação de 0,41%.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade