Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

Advogado diz que houve ‘vazamento seletivo e ilegal’


postado em 20/09/2018 08:00

O advogado Vladimir Spíndola encaminhou nota na qual afirma que a elevação do teto do lucro presumido se deu por "iniciativa do governo e por legítima ação das entidades representativas com interesse no tema, jamais por atuação do escritório de advocacia". "Basta simples consulta às notícias da imprensa à época para saber a dimensão do assunto, bem como para identificar os envolvidos, entre autoridades, entidades de classe etc", diz a nota.

Ainda de acordo com o advogado, o assunto da matéria diz respeito a "investigações sigilosas" e, por isso, parece "haver violação de sigilo fiscal por parte de autoridades responsáveis visando a constranger o advogado investigado e criminalizando o exercício regular da advocacia."

"Diante de mais um vazamento seletivo e ilegal, o advogado tributarista Vladimir Spíndola repudia veementemente as acusações injuriosas e levianas que lhe são feitas", diz a nota, que finaliza com o advogado dizendo que continuará prestando os "esclarecimentos necessários". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade