Publicidade

Estado de Minas

Alerta na indústria de calçados

A ideia é apresentar medidas capazes de blindar os efeitos nefastos da crise no país vizinho


postado em 06/09/2018 06:00 / atualizado em 06/09/2018 08:17

(foto: Arte/Soraia Piva)
(foto: Arte/Soraia Piva)

A desvalorização do peso em cerca de 50% (na foto, casa de câmbio em Buenos Aires), a inflação na casa de 40% e a taxa de juros em 60% ao ano criaram a tempestade perfeita para os argentinos. É dado como certo que a economia do país encolherá mais de 3% em 2018, com reflexos inevitáveis para o Brasil. Para evitar o pior, a Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) está preparando um plano de defesa dos exportadores, que será entregue ao presidente Michel Temer. A ideia é apresentar medidas capazes de blindar os efeitos nefastos da crise no país vizinho. A Argentina se tornou o principal destino dos calçados brasileiros, superando os Estados Unidos. No primeiro trimestre deste ano, os argentinos gastaram cerca de US$ 40 milhões para comprar 2,4 milhões de pares, alta de 10% e 15% respectivamente ante igual período do ano passado. O setor, porém, já espera um tombo das exportações no segundo semestre.


TAP Brasil fará gestão da rota Lisboa-Buenos Aires


A companhia aérea portuguesa TAP começará a voar para a capital da Argentina a partir deste ano, segundo o presidente da operação brasileira, Mario de Carvalho. A rota Lisboa-Buenos Aires será o trecho mais longo da companhia, com cerca de 12 horas de viagem. O curioso é que a gestão do voo ficará sob responsabilidade da TAP Brasil, que atualmente administra rotas diretas à terra de Camões a partir de 10 cidades brasileiras.

Melitta de olho na goumertização do café

No embalo da “gourmetização” do mercado de café, o grupo alemão Melitta quer reforçar seus negócios no segmento. Ontem, a empresa inaugurou sua nova fábrica em Varginha, no Sul de Minas Gerais. A unidade produzirá as marcas Melitta, Café Barão e Café Bom Jesus, com foco na produção de café torrado e moído. “Varginha foi uma escolha estratégica por oferecer mão de obra qualificada e pela posição geográfica que facilita a distribuição”, diz Marcelo Barbieri, presidente para a América do Sul

A pressa do Mercado Livre
Maior plataforma de e-commerce da América Latina, o Mercado Livre aposta que sua divisão de entregas será o pilar da expansão dos negócios nos próximos anos. O Mercado Envios Flex, em fase de testes em São Paulo, oferece aos clientes a entrega da compra no mesmo dia. O novo serviço deve estar disponível até o fim do ano. Por enquanto, sabe-se que as encomendas poderão ser transportadas a pé, por bicicletas, motocicletas ou carros.

  

14%

foi quanto cresceram as vendas de PCs no Brasil no segundo trimestre de 2018 na comparação com o mesmo período do ano passado. O avanço se deve aos notebooks e não aos desktops. Quase 70% das mais de 1,4 milhão de unidades vendidas foram de laptops

 


"A indústria automotiva, do jeito que a conhecemos, vai morrer. No futuro, em apenas duas gerações, não vão acreditar que nós dirigíamos”

. Uri Levine,
fundador do Waze


RAPIDINHAS

» A americana Knotel, uma das maiores empresas de coworking do mundo, com unidades em Nova York, Londres e Berlim, planeja iniciar negócios no Brasil. Executivos da empresa virão ao país na próxima semana para definir uma estratégia de investimentos. Além de São Paulo, a empresa avalia se instalar em Belo Horizonte e Curitiba.

» A Agência Nacional do Cinema (Ancine) destinará  R$ 1 milhão para uma série brasileira que vai documentar a história das finanças, das transações na Idade Média aos negócios com moedas virtuais. Chamada Do ouro ao bitcoin, a série terá três episódios que serão veiculados na TV fechada.

» É no Vietnã, um dos países com a maior produção per capita de arroz do mundo, que uma nova revolução agrícola está em curso. Cientistas locais descobriram uma variedade de bactérias que protege naturalmente as lavouras, o que reduziria a quantidade de fertilizantes usada pelos agricultores. A ideia é vender as superbactérias em forma líquida ou em pó.

» A China continua liderando a corrida global por inovação. Segundo dados da World Intellectual Property Organization, o gigante chinês da internet Alibaba registrou 90 patentes relacionadas à tecnologia Blockchain, aquela que está por trás das moedas virtuais. No ranking mundial, a IBM aparece em segundo lugar, com 89 patentes.

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade