Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

Para Bradesco, nível da moeda está inadequado


postado em 29/08/2018 08:00

O nível atual do dólar, que chegou na terça-feira, 28, aos R$ 4,14, não está adequado para a realidade do Brasil, na opinião do presidente do Bradesco, Octávio de Lazari Júnior. Para o executivo, um intervalo esperado, depois das eleições, seria algo entre R$ 3,70 a R$ 3,80. Apesar disso, ele não vê impactos para o banco ou para as empresas brasileiras em decorrência da valorização da moeda americana. Lazari acrescentou, contudo, que, no nível em que está o dólar, há maior procura por parte das empresas por hedge (proteção contra a variação cambial).

"As empresas não são alavancadas em linhas de crédito em dólar e não devem sofrer impacto pelo atual patamar da moeda. As companhias aprenderam no passado", disse na terça em reunião com analistas e investidores. "Nunca vimos eleição como a que estamos vivendo em termos de indefinição. Mas esperamos que, após a eleição, tudo vai convergir para a mesma direção." Lazari afirmou que no primeiro ano após as eleições a economia sempre cresce. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade