Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

Comissão começa a investigar causas da explosão na Replan, diz FUP


postado em 22/08/2018 17:26

Uma comissão montada para investigar as causas da explosão em unidades da Refinaria de Paulínia (Replan), da Petrobras, começou a trabalhar nesta quarta-feira, 22, informou a Federação Única dos Petroleiros (FUP), em comunicado. No grupo, há representante do Sindicato Unificado dos Petroleiros do Estado de São Paulo (Sindipetro Unificado-SP). "A produção da refinaria continua parada, sem previsão de normalização", informou a Federação, que representa empregados da estatal.

O setor administrativo da refinaria foi retomado, mas a operação continua paralisada, sem previsão de retorno, segundo o sindicato. A explosão ocorreu na última segunda-feira, em uma unidade de craqueamento, que transforma as partes mais pesadas do petróleo em derivados mais nobres. O tanque de águas ácidas explodiu e provocou o incêndio na área. As chamas, então, se alastraram e atingiram uma unidade de destilação, onde há a separação dos derivados do petróleo processado.

Na Replan, funcionam duas unidades de craqueamento e duas de destilação. "Como apenas duas das quatro unidades foram afetadas, a refinaria poderia retomar o processo operacional parcialmente. O problema é que várias linhas de tubulação, que passam pelas unidades prejudicadas, sofreram grandes avarias e essa malha é fundamental para o acionamento parcial da refinaria", informou o sindicato, complementando que, sem essas tubulações, não será possível retomar a operação nas duas unidades que não foram atingidas.

"O que chama a atenção do sindicato é que o acidente aconteceu poucos dias após o término de uma parada para manutenção do craqueamento. Pela primeira vez, o serviço foi executado por uma empresa de fora, apenas com trabalhadores terceirizados. O serviço incluiu a manutenção das grandes máquinas, que demandam conhecimento específico e mais qualificado", traz a nota da FUP.

Procurada, a Petrobras ainda não se pronunciou sobre a previsão de retomada da produção na refinaria.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade