Publicidade

Estado de Minas

Mercado S/A - A guerra contra as tarifas bancárias


postado em 10/08/2018 06:00 / atualizado em 10/08/2018 08:08



 

A guerra contra as tarifas bancárias

A plataforma ComparaOnline, marketplace de comparação de seguros e produtos financeiros, está lançando um serviço que deverá incomodar os bancos tradicionais. A ferramenta proporcionará aos brasileiros a oportunidade de colocar, lado a lado, custos e pacotes de serviços de conta-corrente, que hoje respondem por quase 20% das receitas fixas das instituições. De acordo com Paulo Marchetti, CEO da ComparaOnline no Brasil, o país tem apresentado uma crescente migração dos serviços bancários tradicionais para o ambiente digital, e a empresa está acompanhando as novas tendências. “Queremos fazer parte da revolução bancária, buscando deixar o mercado financeiro mais transparente”, diz Marchetti. O futuro próximo não será fácil para os bancos. Tarifas e juros excessivos estão na mira de consumidores e das autoridades, ao mesmo tempo em que o avanço tecnológico abre novas frentes para os rivais. Dias agitados virão por aí.

Robôs brasileiros ganham mercado no México
A Pollux, companhia catarinense de tecnologia, iniciou nesta semana as operações no México. Especializada na fabricação de robôs industriais para montadoras de automóveis, a empresa prevê aumentar o faturamento em 40% graças à subsidiária. O mercado mexicano é um dos mais rentáveis do setor automotivo mundial. Em junho deste ano, segundo a Associação Mexicana da Indústria Automotiva, as exportações, que têm como principal destino os Estados Unidos, avançaram 8,1% ante o mês anterior.

Para pegar o seu dinheiro de volta
Uma das maiores empresas globais de programas de fidelização, a myWorld está desembarcando no Brasil para ampliar sua atuação no chamado cashback (dinheiro de volta). A meta é se tornar líder e referência do mercado brasileiro, segundo Davi Damazio, diretor-geral da myWorld no Brasil. “Acreditamos que a empresa contribuirá com os novos hábitos de consumo do brasileiro”, afirma o executivo. A empresa possui marcas como Cashback World, Cashback Solutions e White Label Solutions.

Varejo on-line de alimentos e bebidas não decola no Brasil
Um estudo realizado pela Tetra Pak, maior fabricante de embalagens do mundo, mostrou que as vendas de alimentos e bebidas pelas plataformas digitais superaram a marca de US$ 75 milhões no Brasil, com participação de apenas 0,2% na comparação com o varejo tradicional. Até 2022, a expectativa é de que o canal on-line avance 6,5% no país. No mundo, esse modelo de compra movimenta US$ 44,5 bilhões anuais, com projeção de crescimento de 17,4% até 2022.

Rapidinhas
A boa aceitação do serviço de Free Floating, modalidade que consiste em alugar veículos elétricos por minuto, fará com que a empresa Urbano Car Sharing amplie sua frota. Ao atingir a marca de 5 mil usuários, o CEO Leonardo Domingos Silva decidiu encomendar modelos elétricos do pequeno Smart For Two. A meta é chegar a 100 unidades até o fim do ano.

O alto índice de desemprego incentiva o empreendedorismo na internet. Segundo o executivo Carlos Curioni, presidente da Elo7, maior marketplace de produtos alternativos do país, o número de lojistas no segmento pet cresceu 26% neste ano. “As pessoas estão em busca de uma fonte de renda complementar”, diz o executivo.

A definição de um limite para a circulação de veículos acionados por aplicativo – mercado dominado pela Uber – em Nova York pode comprometer o futuro desse tipo de negócio. A decisão, tomada pelo Conselho gestor da cidade, prevê a suspensão de novas licenças por um período de 12 meses.

O grupo britânico Northlock Holdings, dono do site de relacionamentos benaughty.com (seja atrevido, na tradução para o português), está impressionado com o crescimento dos negócios no Brasil. A empresa superou a marcar de 10 mil pessoas em seu banco de dados em apenas dois anos, performance melhor que aquela dos mercados maduros, como Portugal e Espanha.


R$ 51,2 milhões
Foi quanto a Azul, terceira maior companhia aérea do Brasil, perdeu em receitas por causa da greve dos caminhoneiros no fim de maio. No segundo trimestre, a empresa teve prejuízo líquido de R$ 38,6 milhões

“Somos pessoas bem simples na Apple. Focamos em fazer os melhores produtos do mundo e enriquecer a vida das pessoas”
Tim Cook, presidente da empresa da maçã

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade