Publicidade

Estado de Minas

MERCADO S/A - A crise e o sonho americano


postado em 09/08/2018 06:00 / atualizado em 09/08/2018 07:43



A crise e o sonho americano
O ambiente de incertezas eleitorais, a lenta retomada e outras velhas mazelas nacionais estão inspirando um contingente cada vez maior de brasileiros a deixar o país. De acordo com dados da consultoria jurídica de imigração Emdoc, o número de buscas pelo EB-Five, o visto de permanência nos Estados Unidos para empreendedores e investidores, quase quadruplicou nos últimos três anos. Com isso, o Brasil se tornou a terceira nação com o maior número de solicitações no mundo. “Os brasileiros enxergam neste visto uma oportunidade única para a realização do sonho americano”, diz o presidente da Emdoc, João Marques da Fonseca. “Com investimento mínimo de US$ 500 mil, o documento é a chance daqueles que querem entrar nos Estados Unidos legalmente, com a possibilidade de conquistar estabilidade econômica e, sobretudo, status de empreendedor.” O EB-Five foi criado pelo governo americano da década de 1990 com o objetivo de estimular a economia.

GE busca parcerias com startups
A subsidiária brasileira da GE Aviação vai investir no apoio a startups nacionais de tecnologia. A ideia é apoiar e premiar projetos voltados à manutenção de aviões. Além de suporte financeiro, a startup vencedora poderá optar por uma temporada no Centro de Pesquisas da GE, em Nova York. “O InovAr foi criado para estimular startups a pensar novos meios para melhorar processos, otimizar o tempo e gerar menos desperdício”, diz Gabriela Gomes, líder de inovação da empresa.

Hyundai e Samsung querem abrir portas na Coreia do Norte
Grandes companhias sul-coreanas como Hyundai, LG e Samsung estão elaborando um plano de investimentos para a vizinha Coreia do Norte, sob comando do ditador Kim Jong-un. O documento, preparado com a ajuda de executivos das subsidiárias brasileiras, será apresentado ao governo de Seul para o início das negociações diplomáticas. Uma das propostas é levar fábricas que hoje operam no superlotado complexo industrial da cidade de Paju, próxima à fronteira, para o território norte-coreano.

Consumo de vinho dispara no Brasil
Apesar da alta de quase 20% do dólar em 2018, os brasileiros estão bebendo mais vinho. Estudo sobre hábitos de consumo realizado pela consultoria Nielsen mostra que, no acumulado de junho de 2017 a maio deste ano, as vendas cresceram 13,7% ante o mesmo período do ano anterior. Segundo Thiago Torelli, responsável pelo segmento de bebidas da Nielsen no Brasil, 6 milhões de lares brasileiros passaram a comprar o produto. Outros 15,4 milhões mantiveram ou aumentaram o patamar de consumo.

RAPIDINHAS

l As grandes cidades brasileiras estão cada vez mais abertas a meios alternativos de transporte. Chegou ao Brasil nesta semana a Ride, empresa de patinetes elétricas. Segundo o sócio Marcelo Loureiro, a ideia é fazer do serviço, que será oferecido por meio de aplicativo no smartphone, um complemento ao transporte público.

l O nome Facebank é fictício, mas a ideia é real. Se os planos do Facebook derem certo, logo será possível acessar informações bancárias e pagar boletos utilizando a maior rede social do mundo. A empresa de Mark Zuckerberg está em negociação com bancos americanos, como JP Morgan, Wells Fargo e Citigroup, para levar a ideia adiante

l Maior rede de serviços de diaristas do país, a paulista Mary Help se prepara para expandir as operações. A empresa, que prevê um crescimento de 40% no faturamento de 2018, vai abrir unidades em Juiz de Fora (MG), Florianópolis (SC) e Sorocaba (SP). Atualmente, há 70 unidades em funcionamento.

l A chinesa Didi Chuxing vai investir cerca de US$ 1 bilhão em uma espécie de Uber dos mecânicos. A ideia é criar uma rede para o conserto de automóveis, que deverá ser acionada por aplicativo. Segundo a empresa, no começo serão atendidos apenas motoristas profissionais. A previsão é estrear a novidade no segundo semestre de 2019, inclusive no Brasil.

US$ 1,4 bilhão
É quanto aumentou a fortuna de Elon Musk após ele ter feito um tuíte de 61 caracteres na tarde de ontem. Na mensagem, Musk afirmou que avalia a possibilidade de fechar o capital da empresa se a ação subir a US$ 420

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade