Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

CSN: dívida líquida no 2º trimestre sobe 1% para R$ 27,125 bi


postado em 08/08/2018 08:04

A dívida líquida da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) alcançou R$ 27,125 bilhões no fim de junho, aumento de 1% na relação anual e de 2% na trimestral, informou a empresa.

A alavancagem, medida pela razão da dívida líquida pelo Ebitda, foi a 5,34 vezes, ante 5,67 vezes no mesmo intervalo do ano passado e de 5,82 vezes no período imediatamente anterior. A CSN frisa, no documento que acompanha o seu demonstrativo financeiro, que a queda da alavancagem poderia ter sido maior se não fosse os efeitos da variação cambial no segundo trimestre do ano.

O caixa da CSN no segundo trimestre do ano somou R$ 4,387 bilhões, queda de 4% ante o segundo trimestre de 2017, porém aumento de 42% ante o primeiro trimestre do ano, o que foi possível graças à venda do ativo da companhia detido nos Estados Unidos.

Resultado financeiro

A CSN registrou resultado financeiro negativo de R$ 989 milhões no segundo trimestre do ano, ante uma perda de R$ 829 milhões no segundo trimestre do ano passado e de R$ 594 milhões nos três primeiros meses deste ano. Essa linha foi afetada, segundo a companhia, pela variação cambial observada no período.

Investimentos

Os investimentos da CSN somaram no segundo trimestre deste ano R$ 263 milhões, aumento de 10% em relação a igual intervalo do ano passado. Ante o primeiro trimestre do ano houve um aumento de 18%.

Do total investido, de acordo com a CSN, R$ 134 milhões foram na área de siderurgia, R$ 99 milhões em mineração, R$ 13 milhões em cimento e R$ 15 milhões em logística.

O aumento dos investimentos no período, segundo a empresa, deve-se à sazonalidade da execução dos projetos. "A evolução de dispêndios na siderurgia está relacionada a investimentos para melhor performance na coqueria e sinterização", detalhou a companhia no documento que acompanha o seu demonstrativo financeiro.

Minério de ferro

A venda de minério de ferro pela CSN no segundo trimestre somou 8,13 milhões de toneladas, aumento de 4% na relação anual e de 9% no comparativo trimestral, segundo a empresa.

Do total produzido, 6,754 milhões de toneladas foram destinadas ao mercado externo, alta de 4% ante o mesmo intervalo do ano passado e de 10% em relação ao trimestre imediatamente anterior.

Já a produção de minério de ferro pela CSN foi de 6,744 milhões de toneladas, queda de 10% na relação anual e aumento de 10% ante o trimestre imediatamente anterior. As compras de minério de terceiros alcançaram 1,878 milhão de toneladas, mais de 10 vezes o observado um ano antes e aumento de 26% ante os três primeiros meses do ano.

O preço realizado da CSN, entregue na China, foi de US$ 56,8 a tonelada, ante US$ 49,5 a tonelada no segundo trimestre de 2017. No primeiro trimestre do ano o preço realizado foi de US$ 55,9 a tonelada.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade