Publicidade

Estado de Minas

MERCADO S/A - Eleição atrasa aprovação de Cadastro Positivo


postado em 06/08/2018 06:00 / atualizado em 06/08/2018 08:46





Eleição atrasa aprovação de Cadastro Positivo

Todo ano de eleição é a mesma história. Decisões políticas importantes são adiadas para dar lugar às campanhas de deputados e senadores. Nesta semana, faz três meses que a Câmara aprovou o texto-base do Cadastro Positivo, como será chamado o banco de dados dos consumidores que são bons pagadores. Falta agora votar trechos que os parlamentares analisam individualmente. Qual é a chance de isso acontecer antes do resultado das urnas? Não é preciso muito esforço para responder: quase nenhuma. A indisposição do Congresso mostra como, no Brasil, interesses privados sempre se sobressaem aos públicos. É consenso entre economistas, empresários e associações de consumidores que o Cadastro Positivo trará uma série de benefícios. Segundo especialistas, ele poderá injetar, em 3 anos, R$ 1 trilhão na economia brasileira e ampliar o crédito para um universo formado por 25 milhões de pessoas. Para isso, basta o Parlamento trabalhar, mas é aí que a coisa toda emperra.

Decolagem autorizada
para David Neeleman


Está tudo pronto para o lançamento da nova companhia aérea do empresário brasileiro David Neeleman, fundador da Azul. A Moxy, como será chamada, vai voar apenas nos Estados Unidos, assim como a Jet Blue. Segundo fontes do setor, o plano de operações está em fase de análise no departamento aéreo americano. Se todas as autorizações forem concedidas dentro dos prazos, a Moxy vai estrear no primeiro trimestre de 2019.

O plano brasileiro
da chilena Falabella


A varejista chilena Falabella, gigante com 476 endereços na América Latina, está prestes a assumir dois grandes shoppings no Brasil, um em Goiás e outro em Recife, segundo fonte ligada às negociações. A empresa, com faturamento de US$ 12 bilhões no ano passado, tem garimpado o mercado brasileiro há mais de um ano. A Falabella, que chegou a concorrer pela compra da Via Varejo, controla no país as lojas de material de construção Sodimac e Dicico.

6,8 megabits por segundo


é a velocidade média da internet no Brasil, de acordo com dados da consultoria americana Akamai. É pouco. Na Coreia do Sul, líder no ranking de rapidez, o número chegou a 28,6 megabits por segundo. A média mundial é 7,2.

O trauma do Walmart
com o Brasil




O Walmart parece estar traumatizado com o Brasil. Depois de vender 80% de sua operação no país para uma gestora americana, a rede não incluiu o mercado brasileiro em sua nova investida: um canal de streaming. A ideia do maior grupo de varejo do mundo é lançar, no ano que vem, uma plataforma para a transmissão de séries pela internet e tirar uma lasca do negócio dominado por Netflix, com 120 milhões de assinantes. O foco do Walmart está nos Estados Unidos, Europa e Ásia.

***



"Você deve encontrar alguém que tenha habilidades complementares para criar uma empresa. Não deve necessariamente procurar alguém bem-sucedido. Encontre as pessoas certas, não as melhores pessoas”

. Jack Ma, fundador do Alibaba, maior varejista on-line do mundo

***

RAPIDINHAS

. O diretor de compliance da J&F, Emir Calluf Filho, foi indicado ao Oscar do direito latino-americano, prêmio concedido pela Associação Latino-Americana de Advogados Corporativos (LACCA). O executivo da J&F concorre na categoria Compliance Officer com gestores da Bayer, Oracle, Fibria e AB InBev.

. Calluf tem coordenado iniciativas como investigações internas, criação de comitês e estudos de vulnerabilidade de setores das empresas que compõem a holding – o grupo possui mais de 300 CNPJs, entre eles os de companhias como JBS, Âmbar Energia, Eldorado Celulose e Flora. A J&F já investiu R$ 50 milhões em compliance desde dezembro de 2017. O anúncio do vencedor do prêmio será em setembro, em Miami.

. A grife carioca Farm, que pertence ao Grupo Soma, vai estrear no mercado americano em 2019. A empresa planeja quatro unidades na terra de Donald Trump, começando por Nova York e São Francisco. O plano é chegar a 20 lojas até 2020. Outras marcas do grupo, como Animale, ABrand, Fábula, Foxton e FYI, também poderão entrar na onda da internacionalização.

. A era dos grandes campeões de vendas da indústria automobilística está com os dias contados. Nunca o mercado foi tão diversificado. Há uma década, os dez carros mais vendidos respondiam por 57% dos emplacamentos. Hoje, o índice é de 48%. Os dados são da consultoria Jato Dynamics.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade