Publicidade

Estado de Minas

Começa a valer nesta segunda-feira reajuste de 18,53% para clientes residenciais da Cemig

Para a alta tensão o aumento é de 35,56% e para a baixa tensão 18,63%. O aumento médio ficou em 23,19%


postado em 28/05/2018 16:12 / atualizado em 28/05/2018 16:20

(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)

Começou a valer nesta segunda-feira o reajuste o aumento no valor da conta de luz dos clientes CEMIG. A nova tarifa foi autorizada na semana passada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e eleva em 18,53% o preço para clientes residências. Para a alta tensão o aumento é de 35,56% e para a baixa tensão 18,63%. O aumento médio ficou em 23,19%.

O reajuste diz respeito ao quarto ciclo de revisão tarifária da distribuidora, processo que é realizado de quatro em quatro anos pela Aneel para manter o equilíbrio econômico-financeiro dos contratos de concessão.

A Cemig atende a 8,342 milhões de unidades consumidoras em Minas Gerais.

O gerente de Tarifas da Cemig, Giordano de Pinho Matos, afirma que mais de 80% do reajuste definido pela Aneel se refere a itens que não estão sob a gestão da companhia.  O estado crítico dos reservatórios brasileiros influenciou o preço do custo da energia e refletiu na decisão da Aneel para a tarifa da empresa.

“A maior parte do índice se refere ao alto custo de compra da energia em função do baixo nível dos reservatórios brasileiros nos últimos anos, especialmente no segundo semestre de 2017. Além disso, o acionamento das usinas térmicas contribuiu para elevar ainda mais o custo de geração no país. As usinas térmicas utilizam combustíveis fósseis, o que torna a geração de energia mais cara. O mecanismo das bandeiras tarifárias, que tem o objetivo de cobrir parte desses custos, não foi suficiente e a companhia teve uma despesa adicional superior a R$1 bilhão para garantir o fornecimento de energia dos consumidores mineiros”, explicou em nota.


Publicidade