Publicidade

Estado de Minas O PERIGO DO DINHEIRO VIRTUAL

Milhares de sites são infectados com vírus para minerar criptomoedas

É a primeira vez que um ataque com essas características veio à tona


postado em 12/02/2018 15:24 / atualizado em 12/02/2018 15:43

(foto: Reprodução/Internet/Good Free Photos)
(foto: Reprodução/Internet/Good Free Photos)

Milhares de sites na internet em todo o mundo, inclusive muitos operados por governos, foram infectados por vírus para minerar criptomoedas em segredo, denunciou um investigador de segurança. É a primeira vez que um ataque com essas características veio à tona. Uma nova classe de hackers se apoderou de um grande número de sites para gerar moedas como os bitcoins.


Os ataques, anunciados no fim de semana pelo investigador de segurança britânico Scott Helme, afetaram mais de 4 mil sites, inclusive os da agência britânica de proteção de dados e privacidade e do sistema de tribunais federais dos Estados Unidos. Diferentemente dos ataques tradicionais, essas infecções não contêm "ransomware", nem roubam dados, mas operam de forma sigilosa para obter benefícios no universo obscuro das criptomoedas.


Helme disse neste domingo que os piratas digitais eram capazes de acessar um grande número de páginas ao infectar um "plug-in" comum, ou alguns softwares que ajudam os sites a funcionarem melhor. Neste caso, os hackers usaram o software malicioso para criar Monero, uma nova criptomoeda que está causando sensação nos mercados financeiros.


"Se você quiser carregar um minerador de criptomoedas em mil sites, você não ataca mil sites. Ataca o site que todos acessam", disse. Criadora do plug-in, a empresa britânica de softwares TextHelp, afirmou ter tirado o programa do ar assim que descobriu "a tentativa de gerar criptomoedas de forma ilegal". "Isso foi um delito e atualmente está sendo realizada uma investigação minuciosa", disse a empresa em nota.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade