Publicidade

Estado de Minas

Mudança no texto da Previdência ocorrerá só se agregar votos, diz Marun


postado em 24/01/2018 17:00

Brasília, 24 - O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, reafirmou na tarde desta quarta-feira, 24, a disposição do Palácio do Planalto em aceitar mudanças no texto da reforma da Previdência, mas deixou claro que isso só ocorrerá se agregar apoios que permitam alcançar os 308 votos necessários para alterar a Constituição. Caso contrário, ressaltou o ministro, o texto seguirá o mesmo para o plenário da Câmara. "Mudanças só serão realmente avaliadas caso um número significativo de parlamentares tenham o desejo de fazer algum aprimoramento no texto e se comprometendo a trazer votos para aprovação da reforma", afirmou.

Marun disse que não há mudanças ainda definidas, mas que idade mínima e o "fim dos privilégios" são "imexíveis". O ministro afirmou que é preciso acreditar que será possível alcançar o número de votos no momento da votação.

Para ele, a marca de 275 votos garantidos atualmente a favor da reforma é "significativa", já que representa 25 deputados a mais do que a contagem anterior votando com o governo. "Teremos esse número seguro ainda no mês de fevereiro, colocaremos em votação e seremos vitoriosos", respondeu.

O ministro reclamou que lideranças de servidores públicos estão com uma estratégia "equivocada" em relação à reforma. Marun sugeriu que a categoria se sente "de forma responsável" com o governo para ver se há algum ponto da proposta que pode ser aprimorado. "Essa tática de terra arrasada é uma estratégia errada", criticou.

(Daiene Cardoso e Carla Araújo)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade