Publicidade

Estado de Minas

Minas terá R$ 330 milhões em novos hotéis

Um dos maiores grupos hoteleiros do mundo escolhe cinco cidades médias mineiras para iniciar investimentos no país


postado em 02/05/2012 07:07 / atualizado em 02/05/2012 11:16

Lagoa Santa, Sete Lagoas, Pouso Alegre, Betim e Congonhas, municípios mineiros de porte médio, receberão R$ 155 milhões para a instalação de seis hotéis, um centro de convenções com 7 mil metros quadrados de área para eventos e um prédio de estacionamento com capacidade para 1 mil veículos ainda este ano. Os investimentos foram anunciados com exclusividade para o Estado de Minas pelo Wyndham Hotel Group, maior grupo hoteleiro do mundo em número de empreendimentos, em joint venture com a EmCorp. Ao todo, o estado vai receber 30 hotéis do grupo em 10 anos, com investimentos adicionais de R$ 175 milhões. No ano que vem, Ribeirão das Neves e outras três praças situadas em Minas receberão investimentos de R$ 7 milhões cada em hotéis de categoria econômica.

Perspectiva da fachada do Super 8: cada prédio de categoria econômica vai contar com 100 apartamentos
Perspectiva da fachada do Super 8: cada prédio de categoria econômica vai contar com 100 apartamentos
Até 2022, os investimentos do conglomerado no estado somarão R$ 330 milhões. Os recursos virão de fundos de investimento brasileiros (80%) e internacionais (20%). O Wyndham Hotel Group e a EmCorp construirão 200 hotéis no país na próxima década, sempre em municípios de médio porte – ligados às atividades petroleira, mineradora, siderúrgica, automobilística, entre outras –, que estejam recebendo grandes volumes de aportes, mas ainda não contam com infraestrutura hoteleira. Em 2016, 50 deles já deverão estar operando. Os dois primeiros empreendimentos do grupo começam a ser levantados em Minas Gerais ainda neste ano. Em Lagoa Santa, na primeira área privada antes do Aeroporto Tancredo Neves, será instalado o primeiro Wyndham Garden do país, que demandará investimentos de R$ 120 milhões e terá 480 apartamentos. Trata-se de um quatro estrelas de nível superior, destinado a executivos. Em frente ao trevo do mesmo município, na Linha Verde, será instalado um hotel de categoria econômica da marca Super 8, com 100 apartamentos e investimento de R$ 7 milhões.

O Wyndham Garden de Lagoa Santa contará com um centro de convenções de porte médio e com um prédio de estacionamento. É o primeiro do tipo a ser construído no país. O próximo da lista será localizado em Pouso Alegre, no Sul de Minas. “Essa é uma marca (de hotel) que sempre vamos posicionar ao lado dos grandes aeroportos brasileiros, como é o caso de Confins”, diz Dan Fonseca, chairman do grupo Briz, cotista majoritário da EmCorp (desenvolvedora imobiliária com foco em hotéis), e da Condotel (gestora hoteleira). “Será o primeiro grande hotel com um grande centro de convenções ao lado de um grande aeroporto no Brasil. Pretendemos implantar o conceito americano de convenções, no qual o cliente tem a conveniência de descer no aeroporto e, em três minutos, estar dentro do local do evento do qual vai participar”, observa Fonseca.

Os investidores apostam que a iniciativa atrairá para Minas eventos de médio porte que hoje não são realizados aqui por falta de espaços adequados. “Vamos oferecer em torno de 7 mil metros quadrados de áreas de eventos, divididos entre salas moduladas para congressos e cursos paralelos e um grande espaço para feiras.” Segundo ele, o empreendimento é inspirado no modelo norte-americano. Os eventos serão de responsabilidade da Condotel, que fará a gestão de todos os hotéis Super 8 e Wyndham Garden no Brasil. “Assim, conseguiremos manter taxas altas de ocupação não só em nossos hotéis, mas naqueles que estarão no entorno. São eventos que reúnem entre 2 mil e 3 mil pessoas, por isso a oferta de leitos ao lado dos centros de convenções terá de ser grande”, explica Fonseca.

Protocolos indicam R$ 5,1 bi para MG

Na próxima terça-feira, o protocolo de investimentos para a construção dos hotéis em Minas será assinado pelos representantes do Wyndham Group e da Emcorp e entregue à secretária de Desenvolvimento Econômico do estado, Dorothéa Werneck. Na mesma ocasião, o governo de Minas assinará outros dois protocolos de intenção, um com a Taiff, líder no segmento de produtos elétricos profissionais para beleza no Brasil, e outro com a indústria farmacêutica Medquímica. De janeiro a abril, foram assinados 52 compromissos de investimento junto ao governo de Minas, com previsão de recursos da ordem de R$ 5,1 bilhões.

De acordo com Dorothéa Werneck, o documento a ser assinado com o grupo americano Wyndham Group será o terceiro firmado com redes de hotéis que querem investir no interior do estado no último ano. Nos outros dois, foi firmada a construção de 25 empreendimentos hoteleiros. “Isso é um indicador claro de que estamos conseguindo levar o crescimento econômico para o interior”, acredita. Os compromissos firmados nos quatro primeiros meses do ano vão gerar 10.239 empregos diretos e 12.901 indiretos.

Entre as os locais que receberão os empreendimentos, a maior concentração ficou na Região Central, que levou 19 protocolos. Em segundo lugar, aparece o Sul de Minas, com 16. No Triângulo, foram cinco; na Zona da Mata, quatro; no Centro-Oeste, dois e no Jequitinhonha, Norte de Minas e Noroeste, um em cada. “Em termos de empregos diretos, a maior geração fica com o Sul de Minas e de empregos indiretos com a Região Central. O primeiro maior volume de investimentos foi para a Região Central e o segundo para a Zona da Mata”, explica a secretária de Desenvolvimento Econômico.

Hoje, o grupo americano recebe cinco arquitetos de fora do país para um worshop de dois dias que definirá a estrutura do Wyndham Garden no país. Em Lagoa Santa, serão mais de 42 mil metros quadrados de área construída. (ZF)


Publicidade