Publicidade

Estado de Minas

Lojas dão desconto de 70%

Redes do varejo abrem temporada de liquidações para manter vendas aquecidas depois do Natal. Nos shopping centers, lojas vão reduzir preços este mês para atrair os consumidores


postado em 03/01/2012 07:06 / atualizado em 03/01/2012 07:12

Com um Natal mais tímido nas lojas de rua e um pouco melhor nos shopping centers, muitos lojistas seguraram as promoções para janeiro e devem atrair compradores com descontos de até 70% a partir de hoje. Mas os interessados nas liquidações devem definir estratégias para não perder os produtos mais visados. As grandes redes varejistas iniciaram seus saldões apenas no primeiro dia útil do ano. A Casas Bahia dá até 70% de desconto em sua primeira liquidação de 2012. A promoção se estende até o fim da semana ou enquanto durar o estoque. Nesse período, segundo a empresa, os consumidores terão ofertas de mostruário e até lotes de produtos novos serão negociados. O Walmart também iniciou ontem o seu primeiro saldão do ano. Os descontos também vão até 70% e os destaques são para eletroeletrônicos, produtos de informática, eletrodomésticos, eletroportáteis e itens de bazar e confecção. As promoções vão até domingo e o pagamento pode ser feito em até 12 vezes sem juros.

O Magazine Luiza inicia sua 19ª Liquidação Fantástica na madrugada de sexta-feira. Às 5h serão abertas as portas de toda a rede em Minas com cerca de 3 milhões de produtos com até 70% de desconto. No dia, o site não efetuará vendas e só reabrirá depois do fechamento das unidades físicas, com grandes ofertas. “Essa liquidação é conhecida em todo o país, e os descontos praticados pela rede nesse dia possibilitam uma economia real aos nossos clientes, que já sabem de sua tradição”, afirma Luiza Helena Trajano, presidente do Magazine Luiza, ressaltando que a maior parte das ofertas é de produtos negociados diretamente com os fabricantes.

O casal Haroldo Luiz de Almeida e Juliana Rachid deixou passar uns dias da ‘ressaca’ da festa de Natal para ir ao shopping trocar a câmera digital por uma televisão. Mas a tentação é grande e torna-se inevitável sair sem uma nova sacola a tiracolo. Às vésperas de viajar para o litoral pernambucano, eles compraram roupas de praia. “Se tiver desconto, é sempre bem-vindo”, diz ele.

A economista da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL-BH), Ana Paula Bastos, afirma que a expectativa de crescimento do varejo em dezembro varia de 3,5% a 5%, enquanto, no mesmo mês do ano passado, a variação foi de 10%. A forte desaceleração está ligada ao período conturbado mundo afora. A economista avalia que, em média, os descontos devem variar de 40% a 50%, mas, em alguns casos podem chegar a 70%, principalmente para eletrodomésticos que tiveram alta da produção industrial desde o anúncio dos cortes do Impostos sobre Produtos Industrializados (IPI) da linha branca (geladeira, fogão etc). Por isso, a economista indica a necessidade de pesquisar o preço antes de fechar o negócio. “O mesmo produto pode ter variação de preço em duas redes”, diz.

SHOPPINGS No Pátio Savassi, menos de 10% do total de lojas fazia algum tipo promoção até a semana passada. A expectativa da Gerência de Marketing, no entanto, é de que, neste mês, três em cada quatro estabelecimentos liquidem os produtos para em fevereiro lançar a nova coleção. “Depois do Natal, algumas lojas dão descontos, mas a maioria aguarda terminar o período de trocas para começar a promoção”, afirma a gerente de Marketing do shopping, Rejane Duarte. Ela considera janeiro um bom período para compras, mas não se pode demorar muito, pois nos últimos dias restam apenas poucas unidades, à exceção de peças clássicas, aquelas que nunca saem de moda.

O casal de médicos Thiago e Ruth Serpa foi às compras na véspera da virada à procura de roupa branca para a festa, mas os dois não deixaram de observar as vitrines do Diamond Mall para aproveitar no caso de uma oferta chamativa. Mas o que encontraram foram os mesmos preços de dias anteriores ao Natal e pouca liquidação. “Saímos apenas com o que precisamos para a festa”, afirmam os dois, que pensam em voltar neste mês para melhores opções. No Diamond, até a semana passada, apenas 20 das 204 lojas fizeram algum tipo de liquidação para atrair mais consumidores.

O BH Shopping estima crescimento de 14% nas vendas em comparação com o ano passado e para janeiro a aposta está na vinda de moradores do interior para aproveitar os saldões. “Mais da metade do shopping deve fazer algum tipo de promoção”, afirma a gerente de Marketing, Lívia Paolucci. No Boulevard Shopping, a expecatativa é de aumento das vendas no início do ano. “Tem cliente que espera passar o Natal para ir às compras, afirma o gerente de Marketing do Boulevard Shopping, Daniel Vieira.

Projeção positiva

Depois da frustração com as vendas de Natal abaixo do esperado, o comércio brasileiro deverá crescer de 4,5% a 5% este ano na comparação com 2011, segundo prognóstico apresentado ontem pelo presidente da Câmara Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), Roque Pellizzaro Júnior. Se confirmada, a expansão será maior do que a de outros setores de atividade e também deverá ficar acima do crescimento geral do país, previsto para uma faixa de 3% a 3,5%. “O comércio deve puxar a economia em 2012”, disse Pellizzaro. “O cenário da indústria brasileira se apresenta um pouco nebuloso e, assim, o comércio deve ficar com crescimento bem acima dos demais setores”, comparou. A CNDL já pediu a extensão do benefício para o setor de móveis, mas até agora não obteve resposta do governo. “Todos os produtos de maior valor agregado vão precisar de mais incentivo para as vendas”, disse o executivo.


Publicidade