Publicidade

Estado de Minas

Dia de festa e reflexão


postado em 11/10/2019 04:00 / atualizado em 11/10/2019 00:08

João Pedro Junqueira*
Keila Medeiros se divertiu no circo com os netos Romeu, Amora, Pétala e Mabel(foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)
Keila Medeiros se divertiu no circo com os netos Romeu, Amora, Pétala e Mabel (foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)

No Brasil, o Dia das Crianças é comemorado desde 1924. Tudo começou em 1923, quando o 3º Congresso Sul-Americano da Criança foi realizado em 12 de outubro, no Rio de Janeiro, com a proposta de debater questões ligadas ao universo infantil. Um ano depois, o deputado federal fluminense Galdino do Valle Filho (1879-1961) apresentou o projeto que instituiu a data.

Em 1955, as empresas Estrela e Johnson & Johnson, voltadas para o mercado infantil, lançaram a campanha Semana do Bebê Robusto, realizada na semana do Dia das Crianças. Pais enviavam fotos de nenéns para estampar peças publicitárias, concorrendo a prêmios. Pouco tempo depois, outras marcas aderiram à ideia. Foi assim que a Semana do Bebê Robusto se tornou a Semana da Criança.
Tatiane Camargos, diretora-executiva do Museu dos Brinquedos, diz que a Semana da Criança é uma oportunidade para reflexão, apesar de sua forte conotação comercial. “Devemos pensar sobre como é a infância hoje, em todos os aspectos, em como estamos cuidando de nossas crianças”, afirma. “É importante discutir isso não apenas na esfera macro, envolvendo políticas públicas, espaço urbano e segurança, mas também no âmbito das famílias, como elas se situam e quais são suas necessidades.”

* Estagiário sob supervisão da editora-assistente Ângela Faria


Publicidade