Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Focus Cia. de Dança se inspira em 80 filmes para criar Cinequanon

Coreografias trazem novo olhar sobre cenas dos clássicos O poderoso chefão, Psicose, Tempos modernos e Matrix. No fim de semana, espetáculo fica em cartaz no CCBB


postado em 14/06/2019 04:06

O poderoso chefão, uma das referências do espetáculo (foto: Paula Kossatz/divulgação )
O poderoso chefão, uma das referências do espetáculo (foto: Paula Kossatz/divulgação )


Da famosa cena do assassinato no chuveiro em Psicose à truculência da máfia em O poderoso chefão, clássicos do cinema ganham novo olhar em Cinequanon, espetáculo da Focus Cia. de Dança, atração deste fim de semana no Centro Cultural Banco do Brasil, em BH.

Dogville (2004), Matrix (1999), Ensaio sobre a cegueira (2008) e Tempos modernos (1936), entre 80 longas, inspiraram as coreografias do grupo. Recursos audiovisuais, como o zoom, aliaram-se à linguagem da dança.

“É como uma tela de cinema exibindo algo que, no teatro, você não teria como perceber. O detalhe da mão ou de um olho, por exemplo”, explica o coreógrafo carioca Alex Neoral, diretor do espetáculo.

Carolina de Sá, Cosme Gregory, José Villaça, Marcio Jahú, Marina Teixeira, Monise Marques, Rafael Luz e Roberta Bussoni formam o elenco. Na abertura, quatro bailarinas de perucas louras aludem ao universo aterrorizante de Hitchcock, enquanto o solista representa o Chaplin operário e um quarteto encarna o clã Corleone, protagonista do clássico dirigido por Francis Ford Coppola. No decorrer do espetáculo, eles interpretam princesas, super-heróis, xerifes e soldados.

Alex Neoral explica que a proposta não é repetir o que se vê nos filmes, mas buscar neles inspiração para falar da realidade. “Quando uso a trilha de O poderoso chefão, estou tratando da violência, de como se tornou banalizado vermos sangue, mortes e brigas no cinema”, afirma o coreógrafo.

* Estagiária sob supervisão da editora-assistente Ângela Faria



CINEQUANON
Com Focus Cia. de Dança. Sexta (14), sábado (15) e domingo (16), às 20h. CCBB. Praça da Liberdade, 450, Funcionários,
(31) 3431-9400. R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada).


Publicidade