Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Orquestra à Venturini

Opus vai acompanhar o artista, que promete colocar o público para cantar no Sesc Palladium


postado em 10/05/2019 05:06

Flávio Venturini revela que prepara CD com inéditas do grupo O Terço (foto: Rafael Motta/Divulgação)
Flávio Venturini revela que prepara CD com inéditas do grupo O Terço (foto: Rafael Motta/Divulgação)


A Orquestra de Câmara Opus vem apresentando desde 2006 o projeto Orquestrando Brasil, que chega ao Sesc Palladium nesta sexta-feira (10), às 21h. Desta vez, o convidado especial é Flávio Venturini. Além do músico mineiro, já passaram pelo projeto artistas como Milton Nascimento, Dado Villa-Lobos, Guilherme Arantes e Fafá de Belém, entre outras estrelas. “Esta não é a primeira vez que canto com uma orquestra, pois tenho feito shows com várias delas, sendo que já fiz uma turnê com a orquestra do Sesiminas por umas 20 cidades”, revela Venturini.

Ele explica que cantará seus maiores sucessos, além de parcerias e de canções de outros compositores. “É um show recheado de sucessos e, com certeza, o público cantará e gostará”, garante. “O legal também é que é uma orquestra de Belo Horizonte. Já temos feito este trabalho no interior de Minas e na capital é a segunda vez que nos apresentamos. Em Minas estamos tendo um trabalho muito bom e um ótimo retorno por parte do público”.

Aos 69 anos, Venturini anuncia novidades com o grupo O Terço, primeira banda que integrou. “Estamos pensando em gravar um disco de inéditas”, adianta. “Foi ali que comecei minha carreira profissional. Felicidade de criar e fazer sucesso com liberdade e prazer”, relembra. A banda tinha repertório baseado no rock clássico, mas migrou para o progressivo e o rural. Foi formada em 1968, no Rio. Um dos maiores sucessos, Criaturas da noite,  veio em 1975, já com Venturini.

O músico revela que está gravando um disco solo que deverá sair ainda neste ano, o Paisagens sonoras. “As músicas Mantra de São João, Vi no teu olhar e Em cima do tempo já podem ser ouvidas nas plataformas digitais”, avisa Venturini. E há mais: “Também estou com o projeto Do contra, com uma orquestra de contrabaixo formada por alunos da Filarmônica. Vamos lançar um disco no mês que vem. Paraíso e vai trazer músicas de Venturini e uma do compositor, maestro e arranjador italiano Enio Morricone, o tema do filme Cinema Paradiso.

O maestro, fundador e diretor musical da Orquestra Opus, Leonardo Cunha, explica que preparou um concerto com canções conhecidas e imortalizadas na voz de Venturini, todas com arranjos especiais, sendo que a maioria foi feita por ele. “A experiência de trabalhar ao lado do Flávio é muito rica e tem me proporcionado descobertas incríveis quando posso entrar na sua obra para escrever os arranjos. Nesse ‘mergulho’, tenho a oportunidade de conhecer a sua musicalidade e até mesmo a forma de pensar suas harmonias”, conta Cunha.

Entre as músicas selecionadas para o repertório estão Criaturas da noite, Clube da Esquina II, Céu de Santo Amaro, Espanhola, Noites com sol, Nascente, Planeta Sonho, Linda Juventude.

Ele adianta que o repertório terá 17 músicas, sendo os principais hits da carreira solo de Venturini e também de suas participações nos grupos O terço e 14 Bis. “Começamos a apresentação com uma música instrumental, a canção Fantasia, dele. O repertório terá também parcerias dele e músicas de outros compositores que ele gravou, como Sol de primavera (Beto Guedes/Ronaldo Bastos), Fênix (Flávio Venturini/Jorge Vercilo) e para Lennon e McCartney (Fernando Brant/Márcio Borges/Lô Borges) e Mais uma vez (Renato Russo/Flávio Venturini).”

O convite a Venturini surgiu em 2016. “Este é o sexto espetáculo com ele. Mas o Orquestrando Brasil nasceu mesmo em 2006, como necessidade de aproximar mais a música de concerto daquelas pessoas que quase não saem para ver um concerto. Começamos timidamente, somente com a Opus, com a participação de Derico, o saxofonista do Programa do Jô. A partir de 2011, com um grande patrocinador, o projeto teve dimensão maior e conseguimos trazer nomes como Milton Nascimento, Fafá de Belém e Nando Reis, entre outros.”

Nesta época, as apresentações eram em Curitiba (PR), sede no Brasil da multinacional patrocinadora. “Posteriormente, comecei a conduzir o projeto. Fizemos com Dado Villa-Lobos, Sá & Guarabira e Maria Gadu, entre outros artistas. Sei que estas apresentações não são para um público de orquestra. Aliás, este não é um público que sairia de casa para assistir a um concerto, mas daquele que tem interesse em participar de outros projetos.”

Cunha revela que a ideia é tentar mostrar a orquestra de uma forma diferente. “Estamos estudando para o próximo evento a cantora Sandra de Sá. Temos outros projetos em negociação e devemos fazer também, no Cine Theatro Brasil Vallourec, em julho, um espetáculo de rock”, adianta o maestro.

ORQUESTRA DE CÂMARA OPUS CONVIDA FLÁVIO VENTURINI

Sexta-feira (10), 21h. Sesc Palladium, Avenida Augusto de Lima, 420, Centro, (31) 3270-8100. Ingressos de R$ 35 a R$ 120. Venda: www.ingressorapido.com e na bilheteria do teatro.


Publicidade