Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Mineira e neozelandês abrem café inspirado na série Friends

Mineira e neozelandês abrem espaço para bate-papo e lanches no Funcionários


postado em 26/04/2019 05:07

Cardápio privilegia a parte de cafeteria, de espresso a cappuccino, mocha e macchiato, mas há também variações de bolo e sanduíches naturais (foto: EDÉSIO FERREIRA/EM/D.A PRESS)
Cardápio privilegia a parte de cafeteria, de espresso a cappuccino, mocha e macchiato, mas há também variações de bolo e sanduíches naturais (foto: EDÉSIO FERREIRA/EM/D.A PRESS)


O Central Perk nunca existiu, mas é um dos cafés mais famosos do mundo. O sofá em Manhattan que acompanhou, de 1994 a 2004, Rachel, Monica, Ross, Joey, Phoebe e Chandler na série Friends foi a inspiração de Alessandra Marques e Steven Mahoney para criar o Recharge Café. Inaugurado em março no Bairro Funcionários, o espaço para 50 pessoas conta também com um sofá bastante disputado.
“O que a gente queria era um café para os amigos se encontrarem, bater papo. Hoje, já temos reserva para muita reunião e pequenos eventos, como clubes do livro”, conta Alessandra. O café nasce como um desdobramento da English Language Solutions (ELS), escola na qual Mahoney é sócio – funciona em uma loja no piso inferior do mesmo prédio.

“Todos os professores são estrangeiros e muitos dos nossos alunos também são estrangeiros que estão estudando português. Queríamos criar um lugar diferente, como os cafés que existem lá fora”, conta ele. Mahoney é neozelandês, radicado há 20 anos no Brasil. Alessandra é mineira. Os dois têm uma filha e, mesmo não sendo mais casados, hoje são sócios.

O cardápio, provisório, privilegia a parte de cafeteria: espresso (R$ 5,50), cappuccino (R$ 9,50), mocha (R$ 9,50) e macchiato (R$ 7,50) são algumas das opções. Por ora, estão disponíveis lanches como sanduíches naturais (R$ 15,90), salgados (R$ 4 o pão de queijo e R$ 7 tortinhas variadas) e duas opções de bolo do dia (R$ 8, com sabores como mexerica com cachaça e cenoura com creme de avelã).
O Recharge trouxe para BH o TapMango, um serviço de fidelidade norte-americano. O cliente se cadastra depois de consumir no café e ganha um minicartão de créditos. A cada novo consumo ele acumula pontos e, quando atingir determinado valor, pode gastar na cafeteria da maneira que quiser.
Com cadeiras na parte interna e na externa, em maio o espaço ainda vai ganhar um parklet. Também em breve, o cardápio deverá ter novos atrativos, como quiches, saladas e sanduíches. Mesmo que tenha sido aberto recentemente, o Recharge já conta com uma programação própria. A intenção dos proprietários é dedicar as terças-feiras a uma noite temática.
O encontro que marcou a estreia do projeto leva o nome de English Night. A cada primeira terça do mês há um encontro aberto ao público em geral. Mas com uma regra: todos têm de falar inglês. Se não, há multa. “Na primeira vez, o cliente leva uma ‘advertência’. Na segunda, ele tem de pagar um drinque de até R$ 8 para a pessoa com quem falou português”, explica Alessandra.

RECHARGE CAFÉ
Rua Cláudio Manoel, 1.124, Funcionários. Funcionamento de segunda a sábado, das 8h30 às 21h. Informações: www.rechargecafebr.com


Publicidade