" /> " /> " />
Publicidade

Estado de Minas

Suposto esquema de negociações de decisões judiciais em Manaus


postado em 17/06/2016 15:00

Na manhã desta quinta-feira (9), em Manaus, a Polícia Federal do Amazonas (PF-AM) cumpriu mandados de busca e apreensão em gabinetes e nas casas de um juiz e de uma desembargadora. A ação deriva da 2ª fase da Operação ?La Muralla?, iniciada em 2015, atualmente investiga um suposto esquema de negociações de decisões judiciais, envolvendo autoridades do Poder Judiciário do Estado Amazonas, para beneficiar integrantes de uma facção criminosa

policia

Fonte: www.parintins24hs.com.br/pf-am-cumpre-mandados-contra-juiz-e-desembargadora-em-manaus/

A Operação foi criada com o intuito de desarticular o tráfico de drogas, tendo como um dos alvos a facção criminosa Família do Norte (FDN), grupo envolvido com tráfico e homicídios. A FDN foi criada para planejar e coordenar as ações do grupo de dentro dos presídios do Amazonas, com o objetivo de controlar o sistema prisional da capital amazonense, mas com ?braços? fora do Estado e até do País, além de atuar com tráfico de armas, lavagem de dinheiro, evasão de divisas, roubos, sequestro e tortura.

Entre os alvos dos mandados, estão a desembargadora Encarnação das Graças Salgado e o juiz da Vara de Execuções Penais (VEP), Luis Carlos Valois. As investigações correm sob segredo de justiça no STJ, por envolverem autoridades com foro por prerrogativa de função naquela Corte Superior. A ação contou diversos agentes da Polícia Federal, representantes do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e da Procuradoria Geral da República (PGR).

A presença da parcialidade e a falta de equanimidade na função decisória, competida ao magistrado, é uma mazela assombrosa, pois impossibilita que os cidadãos repousem na serenidade de que, caso sejam alvos da Justiça, receberão dela a seriedade e a mais absoluta isenção, ainda que sejam desfavorecidos pelas sentenças.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade