" /> " /> " />
Publicidade

Estado de Minas

Empossado para presidir TSE, Gilmar Mendes garante mudanças no sistema eleitoral.


postado em 16/05/2016 18:00

 ?Não remanesce qualquer dúvida de que o país se reorientou, guiando-se agora pelos ventos incontroláveis da participação cidadã. Se, no julgamento do mensalão, iniciou-se a decisiva sinalização de que, vez por todas, a era da impunidade e da complacência com os poderosos sucumbia [], as competentes investigações em curso na Operação Lava Jato comprovam, de forma cabal, que o Brasil leniente e apático ficou para trás?

Com essas palavras, na última quinta-feira (12/05), tomou posse na presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o ministro Gilmar Mendes.

Mendes deve comandar a Corte Eleitoral até fevereiro de 2018, tendo como vice Luiz Fux. Em seu retorno depois de seu primeiro mandato em 2006, diz que o Brasil se ?reorientou? ao sair às ruas para cobrar transparência e maior eficiência da comunidade política.

Gilmar Mendes tem sido um ávido defensor do fortalecimento das instituições, assumindo que o sistema eleitoral é frágil, mencionando uma crise de representatividade, fatos que estimulariam a reiterada prática de crimes e de corrupções.

Não deixou de mencionar que eleições municipais estão por vir, criticando doações de empresas para as campanhas: ?Essas circunstâncias não coíbem a corrupção, mas abrem margem para fraudes?. Em nota, o TSE, divulgou que as eleições municipais deste ano terão mais de 500 mil candidatos.

O presidente do TSE tem grandes tarefas pela frente: organizar o pleito municipal e a analisar quatro ações movidas pelo PSDB contra a chapa vencedora da eleição presidencial de 2014, Dilma-Temer. Podemos dizer que teremos momentos de agitação na esfera eleitoral.

Vale lembrar que Gilmar Mendes já havia mencionado que essa ação de cassação da chapa de Dilma Rousseff, proposta pelo PSDB, seria seu primeiro trabalho ao assumir a Corte.

Ao falar em nome do Tribunal Superior Eleitoral, o ministro Henrique Neves afirmou que não faltam ao ministro Gilmar Mendes qualidades e experiência para o exercício da Presidência do TSE, ressaltando a trajetória do ministro como magistrado, professor de Direito e as funções e cargos públicos que já ocupou.

?A sua vida profissional sempre foi marcada por ações com resultados profícuos e permanentes. Entre tantos exemplos, a atuação de Sua Excelência na Advocacia-Geral da União demonstrou sua alta capacidade de gestão?, observou o ministro.

A exemplar trajetória de Gilmar Mendes o qualifica para essa função. Resta saber se agirá com a imparcialidade que o momento pede.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade