Publicidade

Estado de Minas

Estudantes brasileiros predominam em mestrado internacional sobre café


postado em 08/01/2018 16:30

Não é novidade que o Brasil é o maior produtor de café do mundo, nem que os brasileiros são apaixonados pela bebida. A mudança de alguns anos para cá está na forma como o País se relaciona com o grão e o produto: a busca pela qualidade se tornou essencial para um número maior de produtores e consumidores e o mercado passa a demandar profissionais cada vez mais completos. Esse é um dos fatores que podem explicar porque os alunos brasileiros são maioria em um mestrado sobre café, na Itália.

Realizado na cidade de Trieste, o Mestrado Internacional em Economia e Ciência do Café (International Masters in Coffee Economics and Science Ernesto Illy) oferece uma formação multidisciplinar sobre o mundo do café ao englobar todo o ciclo produtivo, desde o seu cultivo até os serviços de alimentação, incluindo a logística e o processo de industrialização. O curso objetiva transferir aos alunos o conhecimento tecnológico e cultural de uma empresa como a illycaffè, torrefadora líder mundial em café de qualidade.

A Fundação Ernesto Illy, que organiza o mestrado em parceria com renomadas instituições de ensino italianas, divulgou que, dos 27 alunos matriculados, sete são brasileiros (além de um ouvinte), um recorde de todas as edições do curso, que teve início em 2011. A edição de 2018 terá estudantes de 14 países: Brasil, Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Etiópia, Guatemala, Honduras, Itália, Quênia, Nicarágua, Peru, Estados Unidos e Iêmen.
Foram selecionados candidatos de sete países produtores (Brasil, Etiópia, Guatemala, Honduras, Quênia, Iêmen e Vietnã) para receber uma bolsa de estudos integral. O brasileiro escolhido foi Vitor Stella, engenheiro agrônomo de 26 anos. "Acredito que a troca de experiências com colegas de outros centros de produção será extremamente importante, não só para entender o âmbito produtivo, mas também as maiores virtudes e os gargalos que cada um encontra no seu próprio país", afirma.

As atividades do mestrado terão início no dia 15/01, com aulas até junho e entrega do trabalho final até outubro.

Sobre a illycaffè
A illycaffè (http://illy.com.br/) é uma empresa familiar italiana, fundada em Trieste em 1933, comprometida em oferecer o melhor café do mundo. É a marca de café mais global, produzindo um único blend de café espresso 100% arábica, com grãos provenientes de 9 países fornecedores, sendo o Brasil o principal. São consumidas mais de 7 milhões de xícaras de café illy por dia, em cafeterias, restaurantes, hotéis, escritórios e residências de mais de 140 países. Precursora do espresso, a illycaffè é considerada líder em ciência e tecnologia do café graças a três radicais inovações. Ao promover o primeiro Prêmio Ernesto Illy de Qualidade do Café para Espresso, no Brasil em 1991, também foi pioneira na compra direta dos fornecedores, compartilhando know-how e pagando preços acima do mercado para quem atinge seus padrões de qualidade, em parcerias sustentadas pelos princípios do desenvolvimento sustentável. Com o objetivo de difundir a cultura do café, fundou a Università del Caffè, um centro educacional de excelência que oferece treinamento teórico e prático em todos os aspectos do café para cafeicultores, baristas, equipes de lojas de café e amantes da bebida. Tudo que é "made in illy" é realçado pela beleza e a arte, representando os valores fundamentais da marca, a começar pelo seu logo, como são as mais de 100 xícaras da renomada illy Art Collection, desenhadas por artistas internacionais. A illycaffè empregava 1.269 pessoas globalmente em 2016, quando registrou receitas consolidadas de 460 milhões de euros.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade