Publicidade

Estado de Minas

O que fazer para tornar uma cirurgia ainda mais segura


postado em 28/12/2017 17:30

Para que uma cirurgia ocorra de forma segura, uma série de medidas precisa ser tomada para que se reduzam os riscos antes, durante e depois do procedimento médico. De acordo com o coordenador médico do Centro Cirúrgico do CHN (Complexo Hospitalar de Niterói), Eduardo Duarte, a Organização Mundial de Saúde (OMS), estabelece um programa para garantir a segurança em cirurgias que consiste na verificação de itens essenciais ao processo cirúrgico, atendendo a cinco quesitos: paciente, procedimento, lateralidade (o lado a ser operado, quando for aplicável), posicionamento e equipamentos. Mas há também a parte em que o paciente e seus familiares podem contribuir de modo muito eficaz.

"Os pacientes e os familiares também podem fazer sua parte. Eles são peças muito importantes para a garantia da segurança em um procedimento cirúrgico", explica o médico.

Confira algumas formas de contribuir:

Procure tirar todas as dúvidas com seu cirurgião e seu anestesiologista antes da cirurgia.

Realize os exames de risco cirúrgico solicitados pelo seu médico. O risco cirúrgico é um conjunto de exames ? clínicos, laboratoriais e de imagem ? que assegura que o paciente está apto para realizar algum procedimento cirúrgico.

Informe ao médico se possui alergia a algum medicamento ou alimento.

Pacientes e acompanhantes devem chegar ao local da cirurgia no horário agendado. Os termos de consentimento para a cirurgia e a anestesia precisam estar preenchidos e assinados. As cirurgias que envolverão órgãos duplos, como braços, pernas, rins e pulmões, serão demarcadas pelo médico. É aconselhável que o paciente esteja envolvido, ficando atento à demarcação correta.

Não fume um mês antes da cirurgia, pois o fumo pode prejudicar a cicatrização.

Não depile o local a ser operado antes da cirurgia; a eliminação dos pelos será feita no próprio hospital.

Comunique ao cirurgião se estiver com alguma infecção.

Tome banho na noite anterior e também no dia da cirurgia; quanto mais próximo do horário da cirurgia melhor.

Mantenha o curativo da ferida cirúrgica limpo e seco, seguindo a recomendação do seu médico. Informe ao cirurgião caso apresente qualquer sinal de infecção, como febre, dor excessiva no local operado, vermelhidão, calor local ou secreção.

"Com essas simples medidas é possível reduzir significativamente as reações adversas ao processo cirúrgico e ajudá-lo a ser ainda mais seguro."

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade