Publicidade

Estado de Minas

Segundo pesquisa, vendas no e-commerce devem superar vendas em shopping Center no ano de 2017


postado em 26/12/2017 12:00

Recentemente, uma pesquisa divulgada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), indicou que este ano, as lojas virtuais devem ultrapassar, pela primeira vez, os shoppings centers como espaços de maior concentração de compras de Natal.

A pesquisa entrevistou 730 pessoas nas 27 capitais brasileiras, o resultado é que 40% dos entrevistados pretendem fazer suas compras de Natal por meio de um e-commerce, enquanto 37% irão até shoppings centers. As lojas online, segundo a pesquisa, têm maior força sobre lojas físicas, uma das razões é o fácil acesso aos detalhes e disponibilidade do produto. Segundo a pesquisa, 76% dos entrevistados também afirmaram que tem a intensão fazer pesquisas sobre produto através da internet antes de comprar.

O estudo mostrou grande preferência pela internet, porém parte das pessoas (37%) ainda vão comprar presentes nos shoppings centers, lojas de departamento (37%) e lojas de rua (26%). As instituições não descartam o fator Black Friday como um dos motivos para o aumento nas vendas digitais deste ano. Para Marcela Kwauti, economista-chefe do SPC, o crescimento do comércio eletrônico é uma tendência que pressiona as lojas físicas a disputar a preferência dos consumidores, no entanto, a internet vem ganhando espaço e vantagem no comércio.

A expectativa dos comerciantes para o volume de vendas apresentou leve variação positiva de 0,8% em comparação ao faturamento do mesmo período do ano passado. O levantamento do SPC estima que no Natal de 2017, o movimento deve chegar a R$ 51,2 bilhões. Segundo o estudo, 110 milhões de consumidores têm a intenção de dar presentes neste fim de ano.

Apesar dos dados positivos, o consumidor ainda tem a sensação de que o orçamento está mais apertado e que a renda não acompanha os preços dos produtos. Mesmo com uma inflação controlada, o estudo também apontou que 58% das pessoas acham que os presentes de Natal estão mais caros em relação ao ano passado, 22% acham que os produtos estão na mesma faixa de preço, enquanto somente 7% falam em preços baixos.

A pesquisa mostra que as escolhas dos locais de compras também variam, 58% dos consumidores escolhem o lugar que vão comprar o presente levando em consideração o preço, 50% as ofertas e promoções, 27% a diversidade de produtos e 20% o atendimento. Para os entrevistados as vantagens das compras online são fatores como, comodidade e a facilidade de pesquisar os produtos e preços. Entre as desvantagens estão as compras de última hora, que no caso da internet, tem o prazo de entrega diferenciado por conta dos serviços de entrega.

Ainda assim, para o SPC (Serviço de Proteção ao Crédito), o Natal deste ano deverá ser melhor que o anterior, passando de 107,6 milhões de consumidores que compram em lojas, para 110,8 milhões. O e-commerce é a bola da vez, tanto é que lojas como a Paper Land já aderiram o comércio eletrônico como parte dos negócios. Referência no setor de decoração, na venda de papel de parede, cortina sob medida, persiana, e outros itens, a Paper Land aposta no e-commerce para somar suas vendas de fim de ano.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade