Publicidade

Estado de Minas

É hora de planejar a casa nova para 2018


postado em 18/12/2017 15:00

O início do ano é momento propício para quem deseja mudar de casa. Tradicionalmente em janeiro cresce a procura de pessoas interessadas em alugar imóveis na cidade de São Paulo.

Para quem deseja fechar um contrato de locação, no entanto, planejamento é fundamental. O alerta é da Lello, administradora e imobiliária paulistana, com filiais na capital paulista, ABC, Jundiaí e no litoral.

Segundo Roseli Hernandes, diretora de Locação da empresa, há muitos imóveis em oferta e, por isso, candidatos a inquilino têm um leque bastante variado de opções. "Aliado a isso, os proprietários andam flexíveis em relação ao preço originalmente pedido. Então é perfeitamente possível negociar", afirma. Ela observa que os valores de unidades similares podem variar significativamente e que, por isso, fazer uma boa pesquisa é essencial.

Mesmo com condições favoráveis, diz Roseli, é altamente recomendável que os interessados em alugar imóveis limitem o valor a ser gasto com o valor do aluguel em no máximo 30% do total de seus rendimentos, incluindo, aí, as despesas com IPTU e cota de condomínio.

Ao realizar a pesquisa de ofertas, é importante delimitar as áreas de preferência. Para isso é fundamental verificar as opções de acesso, transporte e serviços essenciais como supermercados, padarias, farmácias, academias e escolas próximas aos locais desejados.

Antes de assinar o contrato, recomenda a diretora da Lello, a imobiliária deve providenciar uma vistoria no imóvel. Dessa forma é possível determinar a responsabilidade de cada um no reparo de eventuais danos. O inquilino deve estudar com a imobiliária qual garantia se enquadra ao seu perfil. A mais usada é fiador, por se tratar de uma garantia sem custo para o inquilino e em seguidas as mais solicitadas são seguro-fiança e caução.

Por fim, orienta Roseli, o candidato a inquilino sobre à documentação que deve ser apresentada para efetivar o contrato de locação. Ela resume-se em RG, CPF, comprovante de residência e comprovante de renda. Os comprovantes de rendas aceitos são os de trabalhadores assalariados, autônomos, aposentados, funcionário públicos e renda de aluguel.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade