Publicidade

Estado de Minas

Especialista dá dicas para o 13º salário do trabalhador render mais

"23% dos trabalhadores que receberam o 13º salário em 2017 pretendem investir ou poupar o benefício." Francis Wagner - CEO do App Renda Fixa


postado em 08/12/2017 15:45

(foto: Dino)
(foto: Dino)
Segundo dados de uma pesquisa realizada pela ACSP, 23% dos trabalhadores irão poupar ou investir o dinheiro do benefício.

O Renda Fixa, aplicativo gratuito especializado em investimentos de renda fixa, elaborou um guia prático para que o benefício do 13º salário, concedido a empregados em regime CLT, possa render mais em aplicações feitas de acordo com o perfil investidor do usuário. Dentre as opções para investimentos no aplicativo, existem 14 tipos de investimentos e mais de 150 emissores cadastrados.

Uma pesquisa realizada pela ACSP (Associação Comercial de São Paulo) revelou que 23% dos trabalhadores que receberam o 13º salário em 2017 pretendem investir ou poupar o benefício. No entanto, a melhor opção nesta hora irá depender do perfil de investidor do usuário e também qual o seu objetivo de retorno.

O Renda Fixa, aplicativo gratuito especializado em investimentos de renda fixa, elaborou um guia prático para que o benefício do 13º salário, concedido a empregados em regime CLT, possa render mais em aplicações feitas de acordo com o perfil investidor do usuário. Dentre as opções para investimentos no aplicativo, existem 14 tipos de investimentos e mais de 150 emissores cadastrados.

Para quem está começando e ainda não tem experiência, o ideal é começar com os investimentos mais conservadores, já os mais experientes podem optar por investimentos moderados e as pessoas que já estão habituadas a investir podem partir para os investimentos mais agressivos.

O aplicativo Renda Fixa selecionou alguns investimentos:

- Tesouro Direto
Ao investir no Tesouro Direto você empresta dinheiro para o governo federal e recebe uma taxa de juros pelo empréstimo feito. Essa taxa pode ser definida na hora do empréstimo (Tesouro Pré-fixado), ligada à variação da inflação (Tesouro IPCA+) ou à taxa básica de juros da economia (Tesouro Selic). Os títulos públicos são considerados os investimentos mais seguros do mercado já que contam com garantia do Tesouro Nacional. O raciocínio por trás disso é bem simples, pois é mais fácil um banco ou uma empresa quebrar do que um governo. Dentre todas as modalidades de investimentos em títulos públicos o Tesouro Selic é considerado o mais conservador, já que não possui marcação a mercado. Esse termo significa que as taxas flutuam de acordo com a expectativa de juros futuros, o que ocorre com os títulos pré-fixados e pós-fixados indexados ao IPCA.

- CDB
No caso do CDB, você empresta o dinheiro para um banco, que utiliza esse empréstimo para fornecer crédito para outros clientes com taxas de juros maiores. A porcentagem de juros que você irá receber, geralmente, acompanha o CDI (Certificado de Depósito Interfinanceiro), que é formado como uma média ponderada dos empréstimos interbancários em operações de um dia.

O CDB é um tipo de investimento que possui cobrança de imposto de renda sob a forma de uma tabela regressiva. Assim, para investimentos de até 180 dias é cobrado 22,5% sobre o rendimento; de 181 a 360 dias, 20%; de 361 a 720 dias, 17,5% e a partir de 721 dias, 15%. Vale ressaltar também que o CDB é um investimento garantido pelo FGC, o Fundo Garantidor de Créditos, no limite de 250 mil reais por CPF e por emissor do título. Assim se o investidor tiver aplicado 200 mil reais já considerando os rendimentos e o emissor vir à falência, o FGC lhe devolverá esse mesmo valor integralmente, sempre respeitando o limite de 250 mil reais.

- LCI/LCA
No caso das Letras de Crédito Imobiliário e Letras de Crédito do Agronegócio, você empresta o dinheiro para um banco financiar o setor imobiliário e agrícola, respectivamente. Esses tipos de investimentos podem ser bastante interessantes para o investidor já que não cobram imposto sobre os rendimentos e além disso, assim como o CDB, também são garantidos pelo FGC nos mesmos limites citados anteriormente.

- Letras de Câmbio
O termo letra de câmbio pode ser um tanto enganoso já que à primeira vista, um investidor leigo pode achar que nessa modalidade de investimentos são realizadas operações de câmbio, entretanto, esse termo surgiu há muitos séculos com o sentido de troca e não de câmbio de moedas. O investimento em Letras de Câmbio é similar ao investimento em CDBs, com algumas pequenas diferenças como o emissor que, nesse caso, não é um banco, mas uma financeira. Além disso, para uma financeira emitir esse tipo de título é preciso que ela tenha empréstimos em volumes equivalentes para que sirvam de lastro.

- Fundos de Renda Fixa
Este modelo de investimento é indicado para os iniciantes ou para aqueles que não dispõe de muito tempo para entender as características de cada investimento, pois mistura diversas modalidades de produtos financeiros em uma mesma "cesta de ativos". Quando se investe através de um fundo de investimentos, o investidor recebe cotas do fundo, cujo valor é atualizado diariamente. Esse tipo de investimento pode ser interessante, pois o investidor tem acesso a uma gama muito variada de produtos, que talvez não tivesse devido ao valor aplicado ser muito baixo.

Quando se investe em fundos, é preciso ter em mente que esse tipo de investimento é administrado por uma instituição composta por profissionais capacitados que cobra uma taxa de administração que é descontada anualmente. Por isso, esteja atento, caso as taxas sejam muito altas já que o investimento pode não se tornar tão atraente.

Website: https://www.apprendafixa.com.br/

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade