Publicidade

Estado de Minas

Intercâmbio, a maneira mais usada para se morar nos Estados Unidos


postado em 04/12/2017 16:15

(foto: Dino)
(foto: Dino)
Camila Marçal, de Fortaleza, foi fazer um intercâmbio na cidade de Saint Paul , em Minnesota, nos Estados Unidos, por seis meses. Qual o resultado dessa experiência?

Solicitou o Green card e pretende se estabelecer no país.

"Devido à crise no Brasil, decidi procurar oportunidade de viver em outro país. Então, para melhorar meu inglês, fiz o intercâmbio em Saint Paul com intuito também de conhecer o estado e decidir se viveria aqui mesmo. Optei pelo período de 6 meses para decidir se queria morar no país" - ela comenta.

Como Camila, muitos outros brasileiros optam por um intercâmbio de longa duração como maneira de estreitar sua presença nos Estados Unidos de uma forma totalmente legal e permanecer lá por um bom período de tempo, se acostumar com a cultura e, se tudo der certo, tentar ficar por lá.

Para isso, algumas providências são necessárias.

COMO USAR O INTERC MBIO PARA MORAR NOS ESTADOS UNIDOS
Não tem como morar nos Estados Unidos de uma maneira tranquila e agradável sem um visto. O ideal é escolher um bom curso do idioma inglês, em uma excelente escola, e se matricular para um período de seis meses. Estando lá, é permitido pedir a renovação do visto por mais dois períodos de igual duração.

E para quem tem muitas perguntas sobre como tirar o visto americano , é bom saber que, na verdade, tudo é muito organizado e prático, com boa parte dos procedimentos acontecendo online ou nos chamados CASV (Centro de Atendimento ao Solicitante de Visto), sem a obrigatoriedade de ir ao consulado, em muitos casos.

Quem pretende fazer um intercâmbio de estudo de idioma, em geral, deve solicitar um visto do tipo F1, para estudantes. Mas se o curso tiver duração inferior a 3 meses e carga horária menor que 17 horas semanais, o visto pode ser de turismo e negócios, dos tipos B1/B2.

Para tirar o visto é necessário preencher o formulário eletrônico DS-160, pagar a taxa de solicitação de visto (MRV), fazer o agendamento online, comparecer ao CASV com os documentos necessários, recolher as digitais e, se necessário, comparecer a entrevista no consulado, que tem sido dispensada, em muitos casos.

Se for chamado para a entrevista no consulado, vão te fazer perguntas simples, como se já foi para os Estados Unidos antes, o que pretende fazer por lá, onde vai se hospedar, qual sua ocupação no Brasil, se já fez faculdade, quando pretende viajar e quanto tempo vai ficar.

Após a chegada ao país para estudar, nada impede o viajante de procurar um emprego, mas é importante ter em mente que não há como ir para os Estados Unidos trabalhar sem um visto específico de trabalho.

O que muitos fazem, já com o inglês bem desenvolvido durante o intercâmbio, é tentar encontrar uma vaga dentro de sua área de atuação e ser considerado pela empresa uma pessoa muito qualificada para o cargo. Nesse caso, o contratante terá que solicitar um visto de trabalho para a pessoa, comprovando que suas habilidades justificam optar por um estrangeiro para a vaga e que não encontraram um americano para ocupar o cargo.

Quanto ao custo de um intercâmbio nos Estados Unidos , tudo vai depender da escola que o intercambista se matricular, a carga horária, a cidade onde se localiza a escola e, é claro, o tempo de duração do curso.

Fora despesas de visto, passagens aéreas e estadia, um curso de intercâmbio nos Estados Unidos pode variar muito, entre R$ 450,00 até mais de R$ 1.500,00 por semana, menos do que muitos imaginam.

Quem quiser fazer uma pesquisa completa, online e em detalhes, existem diversos blogs de intercâmbio na internet que podem ajudar.

Website: https://www.descubraomundo.com/

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade