Publicidade

Estado de Minas

Seu salário de médico está de acordo com o mercado?

Os profissionais médicos devem se unir a fim de melhorar suas próprias condições de trabalho, não aceitando remunerações que não condigam com suas habilidades.


postado em 04/12/2017 13:15

(foto: Dino)
(foto: Dino)
A medicina é uma das profissões mais valorizadas e importantes da sociedade. Afinal, os profissionais que exercem esse ofício são responsáveis por cuidar da saúde das pessoas, prestando um serviço nobre e fundamental. Por esses motivos, é necessário que os médicos recebam salários compatíveis com a importância do trabalho que realizam. Entre os fatores que podem influenciar o valor ganho por esses profissionais estão a área de atuação, o estado em que trabalham e a carga horária.

Segundo a Federação Nacional dos Médicos (Fenam), o salário mínimo dos médicos deve ser R$ 13.847 para 20 horas de trabalho semanais. O valor é usado para basear convenções e acordos envolvendo profissionais da área. Ou seja, ele é utilizado mais como uma recomendação, mas na prática infelizmente é menor do que realmente se recomenda pela FENAM.

De todo modo, não há nenhum valor médio preestabelecido para o salário dos médicos, porém é possível estipular a quantia de acordo com alguns fatores, como a área de especialidade e o nível hierárquico dentro de determinada instituição de saúde. Segundo o guia de profissões da Catho, portal de anúncios de emprego, os valores podem ir de R$ 5 a quase 15 mil, dependendo da função de cada profissional e da carga horária. Confira:

Gerente Médico: R$ 14.783

Coordenador Médico: R$ 10.780

Pediatra: R$ 7.338

Médico do Trabalho: R$ 7.242

Clínica Geral: R$ 6.617

Ginecologista: R$ 6.2014

Psiquiatra: R$ 5.869

Cardiologista: R$ 5.419

A revista Exame também publicou uma pesquisa referente aos salários dos médicos do Brasil em 2014. O veículo fez uma lista com as 15 áreas que possuem o melhor faturamento médio mensal. Encabeçando a lista estão os cirurgiões plásticos, que recebem valores próximos a R$ 18.564, seguidos de perto pelos cirurgiões (R$ 15.975) e pelos ortopedistas (R$ 14.353). O ranking ainda conta com especialidades como dermatologia, oncologia e oftalmologia.

Apesar dessas médias, que em ambos os casos foram calculadas por especialidades, o nível de experiência também influencia. O Site Nacional de Empregos (Sine) estipula que médicos que são contratados no início da carreira tendem a receber valores que podem ir de cinco a oito mil reais, dependendo do porte da empresa. Enquanto os mais experientes, que atuam no mercado há mais tempo, possuem salários que giram em torno de R$ 12.405 a R$ 20.964.

Embora não tenha, oficialmente, uma quantia estipulada vigente, o salário dos médicos no Brasil gira em torno de fatores como os que foram citados acima. Por isso, para saber se o valor que você está recebendo atualmente é justo e condizente com a profissão, leve em conta seu momento na carreira, a área de atuação e qual o porte da instituição que você está trabalhando.

Piso salarial da Fenam

Como já foi dito, a Fenam estipula, anualmente, o piso salarial que os profissionais de medicina devem receber por determinada jornada de trabalho. O valor atual de R$13.847 representa um aumento de aproximadamente 6% do piso anterior, que era de R$ 12.993. Apesar desses números não terem papéis definitivos, eles ajudam a orientar as negociações coletivas da categoria.

O valor é calculado a partir de dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Além do piso salarial dos médicos, a Fenam também ajuda a definir os valores que devem ser cobrados em cada consulta realizada por profissionais da medicina. O preço mínimo estipulado pela entidade é de R$ 170,00. O valor foi estipulado pela federação depois de conversas e negociações com sindicatos filiados.

Para o presidente da Fenam, Otto Batista, esse piso deve sim ser a quantia mínima recebida por um médico, seja no setor público ou no privado. Ele afirma que os empregadores sempre vão impor dificuldades, mas cabe aos profissionais se unirem e formularem estratégias junto ao sindicato para que esses valores sejam respeitados. "Devemos ter a consciência do valor da nossa formação e do exercício da medicina", enfatiza.

Dados demográficos

Um estudo realizado pela Universidade de São Paulo (USP) em 2015, chamado Demografia Médica no Brasil, revela as médias salariais dos médicos do País e os divide em porcentagem. Segundo a pesquisa, 53,9% dos profissionais ouvidos recebe mais de R$ 12 mil reais, enquanto 22,3% recebe entre 8 e 12 mil. Um quinto dos entrevistados, ou seja, 20%, recebe menos de 8 mil reais e 3,8% dos profissionais se recusaram a responder.

O estudo considerou todos os rendimentos obtidos pelos médicos durante o período de um mês, sejam quais forem seus vínculos empregatícios. Segundo a pesquisa, a idade é um dos fatores que influenciam nos rendimentos dos profissionais. Entre os que recebem quantias menores que 8 mil reais, por exemplo, 31,9% tem até 35 anos, enquanto apenas 11,5%, pouco mais de um quinto, tem de 36 a 60 anos. Apenas 6,5% dos médicos considerados jovens faturam valores superiores a 24 mil.

Outro fator que influencia os valores dos salários recebidos é o gênero do profissional . Assim como em outras profissões, o estudo da USP mostra que as mulheres recebem menos que os homens na medicina. Enquanto 27,9% das médicas estão entre as que atingem os menores rendimentos mensais, apenas 14,1% por cento dos médicos integram a mesma faixa salarial.

Em relação aos locais onde residem os médicos, o estudo demográfico mostra que os profissionais que atuam no interior ganham mais do que os que trabalham nas capitais.

Luta por direitos

O CliniQ e o MedEmpregos é a favor da valorização da medicina e da saúde de uma forma geral. A prática salarial utilizada nos últimos anos está sendo decrescente de acordo com a importância e a alta jornada de trabalho dos médicos de todas as especialidades. Os profissionais dessa área devem se unir a fim de melhorar suas próprias condições de trabalho, não aceitando remunerações que não condigam com suas habilidades e com a importância do serviço que prestam.


Website: http://www.cliniqconsultorios.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade