Publicidade

Estado de Minas

Startups já nascem com conselhos consultivos


postado em 30/11/2017 17:15

(foto: Dino)
(foto: Dino)
Muitas startups brasileiras já estão sendo criadas com um conselho consultivo para ajudar na condução dos negócios. Se no passado, contar com um conselho administrativo ou mesmo consultivo era algo restrito às grandes empresas, hoje pequenas e médias empresas estão vendo que isso pode fazer toda a diferença no sucesso do empreendimento.

"O conselho é o guardião da empresa, é ele que ajuda a companhia ter um olhar a curto, médio e longo prazos, fazer a estratégia, monitorar e incentivar a empresa a ter boas práticas de governança", disse Geovana Donella, conselheira de várias empresas familiares, entre elas Merheje, líder na fabricação de acessórios para cuidados pessoais.

Em geral, a trajetória do empreendedor é muito solitária, mas tudo muda quando ele descobre que pode contar com um time de conselheiros, profissionais experientes, vividos. "Gente que já esteve em todas as cadeiras, já viveu, já errou e agora está pronta para participar daquela empresa, ajudar a criar a estratégia para aquele negócio e monitorar, o que é fundamental", afirma. Geovana participou na manhã de ontem, quinta-feira, (09.11) de um painel de debates sobre Governança Corporativa na Era Digital, promovido pela Exec, no Cubo, em São Paulo.

Os conselhos podem ser consultivos ou administrativos, a principal diferença é que os administrativos incluem responsabilidade fiduciária aos conselheiros, sendo muito usados nas companhias abertas, e os consultivos não. Geralmente, os conselhos consultivos têm formação mais diversa e reuniões mais curtas, 4 horas, a cada mês, ou até a cada três meses. E mais, exibem uma formação mais diversa, devendo abrir profissionais com especialização nas áreas de finanças, tributação, governança corporativa, inovação e jurídica, entre outros.

Geovana Donella é conselheira em diversas empresas familiares, entre elas Merheje, SUHAI Seguros e Grupo QG, e especialista em Governança Corporativa e Gestão de Empresas. Atuou como Presidente do Cel Lep, como COO (Chief Operation Officer) do Grupo Multi Holding (atual Pearson) e Superintendente da Alcoa Alumínio. É mentora da Exame PME e Mentora da Liga Empreendedores Insper. Atualmente, é membro do Comitê de Conselhos de Administração do Instituto de Governança Corporativa ? IBGC e professora de Governança Corporativa em vários MBA"s no Brasil. Geovana é bacharel e licenciada em Matemática, pós-graduada em Administração Industrial pela POLI-USP, tem MBA em Gestão de Franquias pela FIA e Conselheira de Administração pelo IBGC.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade