Publicidade

Estado de Minas

Como montar um bom currículo: o que incluir e o que evitar


postado em 28/11/2017 13:30

(foto: Dino)
(foto: Dino)
O currículo é um resumo da história profissional e acadêmica de um candidato a emprego e tem uma estrutura padrão a ser seguida.

Em alguns casos específicos, como candidatos a vagas de emprego criativas, como em agências de publicidade ou escritórios de arquitetura, alguma liberdade quanto ao layout pode ser tomada, mas sem exageros.

Em termos simples, podemos dizer que um bom currículo deve ocupar no máximo duas páginas de papel A4, de preferência uma, se for possível.

Veja o que deve constar em um currículo e algumas práticas que devem ser evitadas.

COMO FAZER UM CURRÍCULO IMPRESSIONAR SEU ENTREVISTADOR

A estrutura básica de um currículo deve seguir o seguinte esquema:

? Identificação do candidato
? Meios de contato, como telefone, e-mail e endereço
? Área de atuação e objetivo profissional
? Breve síntese das qualificações
? Experiência profissional
? Qualificações acadêmicas
? Cursos complementares
? Idiomas
? Outras ítens, como trabalho voluntário , atuação na empresa júnior da faculdade ou no diretório acadêmico e viagens internacionais a trabalho ou de estudos

Vamos detalhar o que deve constar ou não em cada um desses itens, para que você use as melhores práticas e evite erros. Mas, antes de começar, o ideal é que você faça uma breve autoavaliação profissional , buscando identificar seus pontos fortes e fracos.

1- Identificação do candidato

Basta seu nome completo. Não é necessário colocar números de documentos ou da carteira de trabalho. Fotografias também são desnecessárias na grande maioria dos casos, a não ser que você seja candidato a modelo ou ator.

2- Contatos

Telefone fixo e celular, endereço residencial e um e-mail pessoal são o mínimo exigido. Nunca coloque o e-mail da empresa onde trabalha atualmente, o que mostraria que está fazendo uso pessoal dele.

No caso de quem tem um portfólio de projetos e trabalhos, como redatores, arquitetos, jornalistas e designers, o endereço de seu portfólio online deve estar presente, assim como blogs ou outras páginas na internet que demonstrem a qualidade de seu trabalho.

Alguns candidatos colocam um link para sua página no LinkedIn, o que é recomendável, mas não coloque outras mídias sociais, a não ser que você trabalhe com isso e queira mostrar alguma realização na área.

3- Área de atuação e objetivo profissional

Seja objetivo, começando com a área de atuação e, em seguida, o cargo pretendido, por exemplo: Comunicação e Marketing - Gerente de Mídias Sociais. Nada mais é necessário.

4- Breve síntese das qualificações

Evite frases feitas e expressões como "dinâmico", "proativo", "sólida carreira" ou "inovador". Além de serem características que se esperam de qualquer candidato, não é isso que vai ajudar o selecionador a conhecer você melhor.

Nesta parte do currículo descreva as atividades que exerceu, o ramos das empresas e o tipo de desafio que superou, algo como:

10 anos de atuação na área comercial de empresas multinacionais do segmento de eletrônicos, ocupando cargos de consultor, gerente e diretor regional de vendas, liderando equipes de até 100 profissionais. Familiaridade com os principais softwares de CRM e com conceitos como Sucesso do Cliente e Automação de Marketing.

5- Experiência profissional
Faça uma lista das empresa em que trabalhou, começando pela atual ou pela última, caso esteja desempregado.

Coloque o nome da empresa, o cargo que ocupava e a data de entrada e saída. Caso tenha sido promovido e passado por vários cargos, explique isso na linha seguinte.

É muito importante descrever muito brevemente o que fazia e, se possível, relatar uma conquista ou realização que conseguiu em cada uma das empresas, por exemplo:

Comecei como assistente de marketing, passei pelo cargo de supervisor e, promovido a gente, implantei um novo plano de metas na empresa que gerou 35% de aumento nas vendas em um período de 2 anos.

Evite deixar intervalos de tempo entre um emprego e outro, dando a entender que esteve desocupado nesse período.

6- Qualificações acadêmicas

Comece pela título acadêmico mais elevado que tiver. A ordem seria doutorado, mestrado, MBA ou especialização, graduação universitária, curso técnico e colégio.

Deixe claro o nome da instituição acadêmica, o curso em que se formou e o período, veja:

Universidade de São Paulo - USP, Faculdade de Economia e Administração - FEA, Graduação em Administração de Empresas - 1995 a 1988

7- Cursos complementares

Só coloque cursos relevantes e recentes, evite uma longa lista de cursos que podem não agregar em nada e só tornar o currículo mais longo e prolixo.

8- Idiomas

Seja claro quanto ao grau de proficiência em cada idioma e não exagere em suas habilidades. Normalmente são usados os seguintes termos: básico, intermediário, avançado, fluente e nativo.

Se tiver certificados em exames de proficiência em inglês , ou outros idiomas, pode ser interessante colocar, por exemplo:

Inglês Fluente - Certificado TOEFL

9- Outras informações

Como dissemos, ações de voluntariado são muito valorizadas hoje em dia, assim como atuação acadêmica em associações de alunos e diretórios acadêmicos. Viagens internacionais de estudos e participação em congressos também podem ser destacadas.

Estes 9 itens são mais do que suficientes para que você monte um currículo perfeito. Evite se estender, foque em suas melhores qualidades e esteja preparado para responder a qualquer dúvida do entrevistador.

Website: https://www.descubraomundo.com/

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade