Publicidade

Estado de Minas

Tecnologia mobile desponta como aliada no tratamento de doenças crônicas


postado em 28/11/2017 09:30

A tecnologia dos aplicativos e plataformas online mudou a vida de quem procura cuidar do próprio corpo com soluções que estimulam a prática de exercícios e cuidados com o bem-estar. As ferramentas da chamada health tech também facilitaram o acesso à saúde ao aproximar médicos de pacientes.

Pela sua facilidade de acesso e uso, a tecnologia mobile, no entanto, não parecia suficiente para ajudar pessoas que sofrem de moléstias mais graves e persistentes, conhecidas como doenças crônicas, dado o grau de complexidade envolvido no seu tratamento.

Mas uma análise mais aprofundada do problema mostra que as soluções móveis podem desempenhar um papel fundamental para amparar o tratamento desses pacientes nas próximas décadas. De perto, o que parecia complexo é simples de resolver. E a solução está a um toque de distância.

Alerta mundial

Doenças crônicas não transmissíveis são um problema de saúde mundial. Esse tipo de doença não tem cura, por isso deve ser controlado pelo uso de medicação contínua, devidamente acompanhada de orientação médica. Ocorre que a taxa de adesão ao tratamento é muito baixa: de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a não adesão a tratamentos de longo prazo na população mundial gira em torno de 50%.

No Brasil, a prevalência da baixa adesão não é menos alarmante: segundo estudo inédito sobre o tema, publicado na Revista de Saúde Pública, da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP), sob o título "Fatores associados à baixa adesão ao tratamento farmacológico de doenças crônicas no Brasil", 30,8% ou 1/3 dos pacientes crônicos não se engajam no controle da doença com medicamentos de uso contínuo.

Segundo a pesquisa, um dos principais fatores que explicam a baixa adesão, confirmando a literatura médica produzida até aqui, é a falta de interação entre paciente e serviço de saúde. Por se tratarem de doenças que requerem um regime complexo de administração medicamentosa, o acompanhamento profissional é imperativo para o devido tratamento.

Outro fator apontado pela pesquisa é o custo elevado de medicamentos para controlar essas doenças. Como a maioria dos remédios indicados não são disponibilizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e o preço nas farmácias costuma ser elevado, os pacientes mais pobres acabam desestimulados e abandonam o tratamento no meio do caminho.

Atendimento mobile

É nesse contexto de baixa interação entre médico e paciente e dificuldades de acesso à saúde que a tecnologia mobile entra em cena, oferecendo soluções que prometem ajudar o paciente crônico a manter o tratamento e, por consequência, contribuir para a melhora da sua qualidade de vida.

Para facilitar a localização de remédios de uso contínuo e orientar os pacientes crônicos a se cadastrarem em programas de benefícios que dão acesso a descontos promocionais na maioria dos medicamentos, a InterPlayers, grupo que desenvolve soluções tecnológicas com foco em saúde e bem-estar, lançou neste ano o aplicativo GoPharma.

A ferramenta indica para o usuário a localização da farmácia mais próxima onde ele encontra o medicamento que procura. "A busca ainda pode ser filtrada por preferências específicas que informam se a farmácia tem atendimento 24 horas, se oferece estacionamento, sala de aplicação, serviço de delivery, entre outros funis que podem definir a própria realização da compra, visto que o consumidor procura conveniência e agilidade na hora de sair de casa", afirma Fernando Cascardo, diretor de marketing da InterPlayers.

Para estimular a adesão de pacientes crônicos, ele conta que o app lista programas de benefícios de laboratórios farmacêuticos e indica exatamente quais farmácias têm parceria com esses programas, quanto abatem do preço original dos medicamentos e quais redes são credenciadas. "É importante ressaltar que os clubes têm regras que podem variar de acordo com cada produto, com descontos progressivos ou o famoso "pague 2 e leve 3", o que chamamos de caixa adicional, entre outros", complementa.

Atualmente, o GoPharma permite que o paciente se cadastre em 13 programas de benefícios diretamente pelo app, porém o intuito dos desenvolvedores é fazer com que essa facilidade esteja disponível para todas as opções. "Mesmo no caso de programas que ainda não permitem o cadastro via GoPharma é possível localizar as redes de farmácias credenciadas, o que traz maior comodidade para os usuários", conclui.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade