Publicidade

Estado de Minas

Tribunal de Contas da União adota solução de armazenamento Pure Storage para atender demandas de missão crítica


postado em 27/11/2017 15:15

A Pure Storage (NYSE: PSTG), fornecedora independente e líder de armazenamento totalmente baseado em flash, anuncia que o Tribunal de Contas da União (TCU), órgão de controle externo da Administração Pública Federal, escolheu acrescentar ao seu portfólio de armazenamento de dados os arrays 100% flash da Pure Storage, além da solução FlashBlade, voltada às organizações de todos os tamanhos e perfis com necessidades críticas no desempenho e armazenamento de dados. Entre as competências do TCU, estão a fiscalização do uso de recursos e bens públicos, bem como a gestão das subvenções e renúncias de receitas fiscais.

Desde sua construção, há sete anos, o datacenter do TCU é composto por um ambiente de crescimento exponencial, decorrente, em especial, do aumento dos dados custodiados pelo órgão e das demandas por manipulação de conteúdos digitais e análise das informações. Somente nos últimos três anos, a demanda por armazenamento cresceu 640%. "Hoje, os processos do TCU, com bases de dados oriundas de toda Administração Federal, são 100% eletrônicos. Essas bases devem ser manipuladas e processadas diariamente, o que consome espaço enorme", informa Renato Vilela, gerente de infraestrutura do Serviço de Monitoramento e Operação (Semop), uma das unidades responsáveis pelo ambiente de tecnologia do TCU.

O TCU construiu seu projeto por meio de um pregão eletrônico, modalidade de licitação do Governo Federal - realizada, como regra geral, para aquisições de bens e serviços de TI - com edital para aquisição da tecnologia de armazenamento baseada em flash. Ao garantir os requisitos de desempenho estabelecidos pelo edital, a Pure Storage foi vencedora da licitação. Entre as métricas exigidas para ganho real de produtividade estava o armazenamento de capacidade utilizável de 950 terabytes (800TB para bloco e 150TB para file) em no máximo 40U (30 para bloco e 10 para file). Por meio de duas soluções, o FlashArray FA//m70r2 e o FlashBlade, a Pure Storage conseguiu entregar o volume final em apenas 11Us, o que representa redução de 72%, ou 0,27 vezes o espaço físico utilizado para o armazenamento. "Isso representou um número fantástico para nós. A economia de espaço no datacenter é fundamental", comemora Vilela.

O processo de migração dos arrays da Pure começou em abril de 2017. Após apenas duas semanas, 500TB de dados já tinham sido migrados. A instalação, configuração e atualização do FlashArray durou apenas duas horas, enquanto o FlashBlade, cinco horas. A simplicidade de uso dos equipamentos representou ganho importante para o TCU. "Surpreendeu-nos positivamente a facilidade de configuração dos equipamentos. Eles foram entregues, configurados pelo integrador e assumimos de imediato a operação. Houve um trabalho de migração com baixo esforço para curva de aprendizagem. Nossa equipe hoje já altera o equipamento sem aquela usual grande complexidade que temos com equipamentos tradicionais", ele recorda.

Um dos ganhos imediatos com a aquisição das soluções da Pure Storage está relacionado aos servidores de mensagem Exchange. O Tribunal de Contas da União possui aproximadamente 11 mil caixas postais, mas existia elevado enfileiramento de requisições de mensagens do correio eletrônico, o que gerava erros nos processos de arquivamento (e-mail archiving). "Com a migração, a fila de 400 mensagens, em média, do Exchange, baixou para praticamente zero e a taxa de erros nesses processos de arquivamento para menos de 1%, uma demonstração extremamente significativa", considera o gerente do Semop.

A taxa de redução de dados adequada aos workloads do Tribunal seria em torno de 2.6 para 1. Durante a migração, a Pure Storage apresentou taxa de redução no FlashArray de 3,3 para 1, dentro da faixa estabelecida como parâmetro do edital. Já as taxas de performance chegaram a 12TB/h de banda, com latência inferior a 1ms (perfil 10Read/90Write). "O equipamento nos ofereceu uma latência extremamente baixa", aponta.

A equipe do Semop também avalia o aplicativo Pure 1, que permite o monitoramento do conjunto de arrays em tempo real pelo celular, como uma vantagem apresentada pela Pure Storage. "O storage all-flash da Pure Storage nos trouxe a oportunidade de revisitar a infraestrutura e transformá-la numa solução facilitadora para a área de controle - uma das poucas oportunidades que nós, como equipe de infraestrutura, temos de apresentar um resultado imediato e percebido pelo cliente final", conclui Vilela.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade