Publicidade

Estado de Minas

Estudantes fazem intercâmbio sem sair de São Paulo


postado em 16/11/2017 11:45

(foto: Dino)
(foto: Dino)
A convivência com diferentes realidades e a possibilidade de se comunicar em outra língua ampliam o horizonte dos estudantes que planejam um futuro profissional de excelência. De acordo com levantamento da Brazilian Educational & Language Travel Association (Belta) ? que reúne instituições com programas educacionais no exterior ? 246,4 mil estudantes deixaram o país para fazer cursos no exterior em 2016. Desse total, 25,5% (62.832) ingressaram em uma instituição de ensino superior. O número de brasileiros fazendo a graduação fora do país vem crescendo.

Agora conquistar um inglês fluente, interagir com outra cultura e ainda obter o diploma americano de ensino médio sem deixar o país já é uma realidade possível para alunos de escolas particulares no Brasil. Localizado na Zona Leste da cidade de São Paulo, o Colégio Agostiniano São José (CASJ) buscou opções para os jovens poderem adquirir essa experiência sem sair do Brasil. E assim, prepara-se para formar sua quarta turma do High School, programa equivalente ao Ensino Médio americano, em parceria com a Universidade do Missouri, dos EUA. O Colégio é pioneiro na sua região em implementar o High School como alternativa aos alunos do 9° ano do Ensino Fundamental II, que queiram cursar o Ensino Médio do Brasil simultaneamente ao programa americano.

Os alunos que optam pelo programa estudam o currículo brasileiro pela manhã e o norte-americano à tarde. As matérias são complementares e não substitutivas, o que permite aos estudantes terem dupla titulação, podendo prestar vestibulares tanto no Brasil como nos EUA.

Todo o material didático é elaborado pela Universidade do Missouri e as provas são corrigidas diretamente nos Estados Unidos, uma vez que o diploma do High School é emitido por eles. O compartilhamento de conteúdo ao longo do curso é feito por meio da plataforma educacional Canvas, adotada pela universidade. Na conclusão do programa, os alunos passam por um exame final de acordo com o padrão de avaliação norte-americano. Os aprovados têm a possibilidade de cursar o ensino superior na Universidade do Missouri, sem passar por novas provas.

As aulas são conduzidas por professores nativos da língua inglesa que aplicam as disciplinas das escolas norte-americanas e não ensinadas no Brasil, como política, economia, história americana, literatura inglesa e oratória. É proibido falar português em sala de aula, o que aumenta o desafio especialmente nas aulas de oratória (speech), em que aluno adquire desenvoltura para falar em público, ao argumentar, debater, fundamentar e defender suas ideias em inglês, diante do grupo. Eles também praticam técnicas de escrita para o desenvolvimento de textos bem fundamentados na língua inglesa.

"O desenvolvimento do pensamento crítico é um dos pontos fortes da educação norte-americana, assim como o conceito de organização. Os alunos do High School aprendem, por exemplo, que não devem acumular tarefas, diferentemente do que preza a cultura brasileira de deixar as obrigações para o último instante", comenta Pe Javier García Martínez, Diretor do Colégio Agostiniano São José .

Outras vantagens e custos
As mensalidades do High School são pagas em dólar e o Colégio não aceita estudantes de outras instituições para cursar apenas essa modalidade. "Esse é um diferencial que a nossa escola oferece ao seu público, e apesar do pagamento ser feito em moeda americana, ainda assim, é mais vantajoso do que manter um filho por três anos estudando fora do país. Além disso, o aluno não fica no prejuízo, por não ter cursado o ensino médio nacional", esclarece o Diretor.

Outra preocupação do Colégio é que o estudante aproveite o terceiro ano do ensino médio para concentrar-se no ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) e nos vestibulares, por esta razão o High School é aberto aos alunos do 9° ano do Ensino Fundamental, para que seja concluído, em paralelo, na segunda série do ensino médio regulamentar.

"Independentemente da decisão de cursar uma universidade aqui ou fora do país, um jovem com o diploma do High School, certamente, é bastante valorizado no mercado de trabalho, especialmente pelas empresas multinacionais", conclui Pe Javier.




Website: http://www.casj.com.br/

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade