Publicidade

Estado de Minas

Novo Estudo da GSMA Destaca as Principais Tendências que Marcam o Futuro do Celular


postado em 13/09/2017 00:15

GSMA publicou hoje o segundo relatório anual "Global Mobile Trends" que fornece dados e análises exclusivas sobre as principais tendências que configuram o futuro do ecossistema móvel. Publicado em Mobile World Congress Americas em San Francisco nesta semana, a edição de 2017 desta série de relatórios emblemáticos compila dados sobre tendências de crescimento de assinantes móveis em mercados desenvolvidos e emergentes, e informações sobre inovação de dispositivos além do smartphone; a evolução das redes 4G para 5G; desempenho financeiro da indústria e perspectivas de crescimento; concorrência e convergência; e estatísticas para todas as regiões do mundo.

"Nosso último relatório de Tendências Móveis Globais fornece uma visão abrangente das oportunidades e desafios que enfrenta a indústria de telefonia móvel à medida que avançamos para uma nova era de conectividade onipresente." Afirmou Laxmi Akkaraju, Diretor de Estratégia da GSMA. "Construído com os melhores dados da GSMA Intelligence e produzido pela nossa equipe interna de analistas da indústria, o relatório de hoje descreve como as futuras redes e os modelos no negócio das operadoras estão evoluindo em um panorama de rápidas mudanças na indústria".

Principais itens para a edição Global Mobile Trends 2017:

Conectando o próximo bilhão: Cinco bilhões de pessoas estão conectadas a redes móveis, representando dois terços da população mundial. No entanto, o crescimento está diminuindo; Levou quatro anos para passar de 4 para 5 bilhões de assinantes, e conectar o próximo bilhão demorará ainda mais. Enquanto isso, o crescimento de smartphones e banda larga móvel está impulsionando o uso e engajamento da Internet móvel, e estão surgindo novos fatores de formato além do smartphone.

Rápido crescimento do 4G: A emoção da indústria em torno do 5G negligencia o fato de que o 4G ainda tem muito espaço livre para o crescimento futuro. Está previsto que o 4G representará dois terços das conexões móveis globais até 2025 (cerca de um quarto do que existe hoje), impulsionado pelo aumento da aquisição do 4G nesse período em grandes mercados emergentes como Brasil, Índia e Indonésia.

O caminho para o 5G: As implantações iniciais de 5G, provavelmente, direcionarão aplicativos de banda larga alta como uma extensão para 4G, principalmente 8K vídeos ultra-HD e apps VR/AR, embora os EUA se concentrem, inicialmente, no uso de 5G como tecnologia de alta velocidade para banda larga doméstica. A Coréia do Sul e o Japão, provavelmente, estarão entre os primeiros mercados de 5G apresentando a tecnologia nas Olimpíadas em 2018 e 2020, respectivamente. No entanto, em uma base global, espera-se que as redes 5G sejam lançadas a uma taxa mais lenta que 4G, e é provável que sua aquisição também seja mais lenta.

Transformando a rede: É necessária uma mudança de paradigma na arquitetura da rede para suportar a mudança para 5G na Internet, exigindo a criação de redes descentralizadas que combinem uma série de tecnologias de rede (por exemplo, células pequenas, LPWA), usando funções de redes controladas por software e sendo executadas com ou sem licenças. Será necessário adquirir tecnologia de ponta e segmentação de rede para suportar os principais aplicativos 5G.

Telecomunicações e convergência de mídia: Agora, a convergência está ocorrendo no nível da indústria, evidenciado pelo recente boom de M&A que está criando conglomerados de telecomunicações que procuram desbloquear novas oportunidades combinando ofertas de conteúdos com os principais serviços de rede; Os exemplos incluem Verizon/AOL/Yahoo e o vínculo proposto entre a AT&T e a Time Warner. No entanto, os investidores ainda precisam cotizar o crescimento para jogadas convergentes de telecomunicações que continuam sendo valorizadas, significativamente, abaixo dos principais donos da tecnologia. O quinteto Apple, Amazon, Facebook, Google e Netflix cresceu coletivamente o valor da empresa 3.5x desde 2010, com grandes operadoras de telecomunicações permanecendo relativamente estáveis durante este período.

Sobre as Tendências Móveis Globais GSMA 2017

O relatório é baseado em dados da GSMA Intelligence, o braço de pesquisa da GSMA e fontes selecionadas de terceiros. A informação é agrupada em vários capítulos: tendências de uso do consumidor; crescimento de assinantes e Internet móvel em mercados emergentes; redes; desempenho financeiro (incluindo margem de renda, margem EBITDA e tendências de capex); panorama competitivo e análise de concorrência intersectorial; estatísticas e comentários em todo mercado móvel regional do mundo todo.

O relatório GSMA Global Mobile Trends 2017 está disponível em: https://www.gsma.com/globalmobiletrends/.

Sobre a GSMA

A GSMA representa os interesses das operadoras móveis em todo o mundo, unindo cerca de 800 operadores com mais de 300 empresas no ecossistema móvel mais amplo, incluindo fabricantes de celulares e dispositivos, empresas de software, fornecedores de equipamentos e empresas de Internet, bem como organizações em setores industriais adjacentes. A GSMA também produz eventos líderes do setor, como o Mobile World Congress, o Mobile World Congress de Xangai, o Mobile World Congress das Américas e conferências do Mobile 360 Series.

Para mais informações, visite o site corporativo da GSMA em www.gsma.com. Siga a GSMA no Twitter: @GSMA.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.


Contato:

GSMA
Contatos de Mídia:
Clare Fenny
+44 20 7067 0749
CFenny@webershandwick.com
GSMA Escritório de Imprensa
pressoffice@gsma.com


Fonte: BUSINESS WIRE

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade