Publicidade

Estado de Minas

Os 3 principais desafios das Indústrias de Alimentos e Bebidas


postado em 04/09/2017 11:30

(foto: Dino)
(foto: Dino)
Assim como em outros segmentos industriais, o setor de Alimentos e Bebidas está sujeito a exigências específicas e segue tendências particulares ? as quais podem, invariavelmente, determinar o sucesso ou o fracasso do negócio. Dentre os principais desafios do ramo, que requerem atenção ostensiva e melhoria contínua de processos, é possível citar, por exemplo:

1. Controle de estoque e armazenagem
Uma das características que mais diferencia o segmento de Alimentos e Bebidas dos demais ramos industriais é a condição de sua matéria-prima e de seu produto acabado: em se tratando de artigos perecíveis, é imprescindível que as rotinas de armazenagem obedeçam a critérios inteligentes e integrados, evitando erros que possam incorrer em prejuízos. Produção inflada e sem escoamento e falta de controle na validade dos lotes, por exemplo, são desvios graves que podem ser facilmente corrigidos a partir da integração das áreas do negócio.

2. Controle de qualidade
A gestão de qualidade é determinante na operação das indústrias de Alimentos e Bebidas. Os processos, uma vez definidos e parametrizados, devem ser rigorosamente seguidos a cada lote produzido. A gestão de qualidade inclui o controle de produtos adquiridos (como o IQF, que qualifica os fornecedores) e acabados, relatórios de não-conformidade e práticas ISO, como domínio de lotes e rastreabilidade de itens.

3. Atendimento às normas específicas
A legislação que regulamenta a atividade industrial no setor de Alimentos e Bebidas é bastante rígida, uma vez que certifica a liberação de consumo para determinado produto. Nesse contexto, para garantir conformidade às regras legais, é necessário, por exemplo, incorporar rotinas de emissão de laudos técnicos (catalogando-os nos padrões esperados) e de impressão de etiquetas nutricionais, detalhando as especificações do produto e listando seus componentes. A credibilidade dos dados obtidos durante o processo é indispensável ? e chancela a perenidade da produção.

Diante dos desafios pertinentes ao setor, é válido enfatizar que a implantação de um sistema ERP desponta como ferramenta fundamental à gestão equilibrada do negócio, uma vez que o software centraliza todas as informações da empresa e integra as áreas de forma a fornecer um panorama completo da situação operacional da organização.

"A maior dificuldade que nós tínhamos era a comunicação entre as áreas. O sistema, quando não está integrado por completo, impossibilita a comunicação entre os setores. Isso faz com que haja sempre muitos gargalos e ocasiona grandes problemas durante o processo"

Diogo Felipe de Souza, Coordenador de Controladoria da Temperart



O Areco ERP automatiza processos, elimina retrabalho e minimiza as chances de erro nas atividades cotidianas, reduzindo, também, o desperdício de tempo. Ao integrar departamentos e fornecer indicativos de desempenho, o sistema garante transparência e segurança na tomada estratégica de decisões.

O Areco ERP é multimoedas, multiempresas e multi-idiomas, reunindo uma gama ampla de relatórios, telas gerenciais, suporte à auditoria em todas as telas e direitos de acesso para cada perfil de usuário. As atualizações do software são automáticas e contemplam todas as Legislações Federais e Estaduais sem custos adicionais.


Saiba mais em: www.areco.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade